Irão, Iraque, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iémen. Cidadãos destes sete países não podem entrar em território norte-americano nos próximos 90 dias, uma vez que não vão ser emitidos vistos. A medida polémica do novo presidente dos Estados Unidos está a causar ondas de indignação um pouco por todo o mundo.

Dos países escolhidos por Trump, com o objetivo de impedir a entrada de terroristas islâmicos radicais nos Estados Unidos, a maioria também impõe restrições de entrada a certas nacionalidades, indica um artigo do The Telegraph.

Síria, Sudão, Iraque, Irão, Iémen e Líbia proíbem a entrada de cidadãos que tenham passaporte israelita, bem como destes 10 países: Argélia, Bangladesh, Brunei, Kuwait, Líbano, Malásia, Oman, Paquistão, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos.

Veja também: Os 23 países menos visitados no mundo

A Somália é o único país da lista de Trump que não impõe restrições de entrada a cidadãos israelitas, no entanto, Israel não autoriza os seus cidadãos a viajarem para certos países, tais como Afeganistão, Irão, Iraque, Paquistão, Líbano, Síria, Líbia, Sudão e Iémen.

Muitos destes países encontram-se entre os mais perigosos do mundo, atraindo poucos visitantes. Por outro lado, cada vez mais cidadãos tentam fugir destes países para procurarem melhores condições ou salvar a própria vida. Os refugiados também estão incluídos no decreto de Trump, que não vai conceder vistos a estas pessoas em risco durante os próximos tempos.

Veja também:

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.