O estudo americano de Satisfação das Companhias Aéreas 2017 realizado pela empresa J.D. Power revela que, de uma forma geral, os passageiros americanos encontram-se muito satisfeitos com as companhias onde viajam. E, inclusive, os dados demonstram que esta satisfação atingiu novos máximos em 2017.

De acordo com os resultados, esta satisfação deve-se às melhorias globais na indústria da aviação, como a aplicação de tarifas mais baixas, menos atrasos, menos bagagem perdida e menos problemas durante os voos.

Numa escala de 1.000 pontos, o estudo revela que a satisfação com a indústria aumentou 30 pontos em relação a 2016, obtendo uma classificação geral de 756 pontos.

O estudo analisou 11.015 passageiros que voaram nas maiores companhias aéreas da América do Norte entre março de 2016 e março de 2017.

Michael Taylor, da J.D. Power, revela no site da empresa, "É complicado pensar em satisfação do cliente em relação às companhias aéreas sem nos vir à cabeça a imagem do passageiro a ser arrastado para fora do avião, mas os nossos dados mostram que, de uma forma geral, a indústria de aviação tem feito melhorias que levaram a estes resultados, desde as tarifas à tripulação".

Mas ressalva também que as companhias aéreas ainda têm espaço para melhorar, já que no ranking estas apresentaram uma classificação inferior em termos de serviço, comparativamente com outras empresas associadas, como aluguer de carro ou hotéis.

O estudo também classificou as companhias aéreas, e a Alaska Airline foi a que obteve novamente a pontuação mais alta pelo décimo ano consecutivo. A seguir, surgem a Delta Air Lines, American Airlines, United Airlines e Air Canada. Em relação às low cost, as melhores classificadas foram a Southwest Airlines (que surge no número um pela primeira vez), Jet Blue, WestJet e Frontier Airlines.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.