De acordo com as palavras do Ministro do Turismo e Desporto da Tailândia, Weerasak Kowsurat, “o turismo não deve ser visto como uma galinha dos ovos de ouro para a economia, mas sim como um meio de reduzir as disparidades sociais e melhorar a qualidade de vida da população, mantendo sempre a segurança como prioridade”.

Com este objetivo em mente, foram apresentadas uma série de medidas que têm como objetivo balancear o fluxo turístico no país, distribuindo-o por regiões menos conhecidas que também necessitam de desenvolvimento. “É importante perceber o que é que atrai os turistas na Tailândia. Neste momento, temos cerca de 35 milhões de turistas que nos visitam anualmente, o que representa metade da nossa população. Se estes números não forem bem distribuídos pelo país, nem o povo tailandês nem os próprios turistas continuarão a ver-nos como o País dos Sorrisos”, diz Weerasak Kowsurat.

Tailândia implementa medidas

Com foco na reabilitação das cidades e vilas com vista a melhorar as condições de vida das populações locais, na melhoria dos serviços turísticos e na preservação do meio ambiente, serão lançadas medidas específicas como a proibição de fumar nas áreas públicas, de utilização de sacos de plástico em parques nacionais, a sensibilização dos turistas para a utilização dos “Pintos” (contentores de comida) durante as visitas a esses mesmos parques, e a melhoria das ligações ferroviárias  e aéreas a cidades menos conhecidas, de forma a escoar o fluxo de turistas que se registam em locais como Bangkok, Phuket, Phi Phi ou Krabi.

De forma a incentivar e facilitar a entrada de turistas chineses na Tailândia, o governo eliminou ainda as taxas dos vistos no período entre 15 de novembro de 2018 a 15 de janeiro de 2019, e pondera a inclusão de uma taxa de seguro nos vistos desses mesmos turistas, que permita a cobertura de despesas médicas, aliviando assim a carga sobre os impostos dos cidadãos tailandeses.

Não se registarão, no entanto, quaisquer alterações aos vistos para cidadãos portugueses que atualmente não necessitam de visto para estadias inferiores a 30 dias.


Links Úteis:

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.