A tradicional festa da cerveja de Munique começou, este sábado, com um reforço da proteção policial após os três ataques ocorridos na Baviera em julho, dois reivindicados por extremistas e um provocado por um adolescente com problemas mentais.

O presidente da capital da Baviera, Dieter Reite, inaugurou às 12H00 a 183ª edição da Oktoberfest, a maior festa dedicada à cerveja do mundo.

Pela primeira vez, a esplanada de Theresienwiese foi rodeada por uma cerca. Além disso, foi proibida a entrada com grandes bolsas no recinto, foram mobilizados 600 policiais permanentes, em vez 500, e a videovigilância foi reforçada.

"Constatamos que a sensação de segurança da população deteriorou-se. Queremos mostrar, com mais policias, que estamos preparados", disse este sábado Werner Feiler, vice-presidente da Polícia de Munique.

Os organizadores temem uma diminuição na afluência devido às preocupações pela segurança. No ano passado, a afluência foi menor coincidindo com a chegada de refugiados à Baviera no momento de auge da crise migratória.

A Oktoberfest registou então 5,9 milhões de visitantes, 400.000 a menos que no ano anterior.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.