Torres Vedras podia ser a terra dos três V (de Vedras, de Vinho e de Vento). Vedras, que é o feminino plural do adjetivo antigo "vedro” – que significa velho –, encaminha-nos para a parte histórica deste território com vestígios da pré-história e da época romana.

Começamos por descobrir a Paisagem Protegida Local das Serras do Socorro e Archeira pelos trilhos do Circuito da Serra da Archeira, que pode percorrer a pé ou, como nós, num carro todo-o-terreno.

No nosso caso, aventuramo-nos com a Naturum, que é uma empresa que procura dar a conhecer a região Oeste de forma diferente e em UMM’s – os jipes da mítica marca portuguesa União Metalo-Mecânica.

Naturum Tour

Contactos:
Tel: +351 966 160 160
Email: naturumm4x4tour@gmail.com
Morada: Largo da Praça de Touros, lote 2 R/C
2450-065, Sítio da Nazaré

Sobre quatro rodas, apreciamos a natureza envolvente e, quase ao chegarmos ao Forte da Archeira, no topo da Serra, deparamo-nos com gigantescas turbinas de energia eólica que nos dizem que estamos na terra do Vento.

O circuito da Serra da Archeira faz parte da Rota Histórica das Linhas de Torres, que se trataram de um sistema militar defensivo, erguido a norte de Lisboa, entre 1809 e 1810 e que representam a luta de Portugal pela soberania.

Visitar a Rota Histórica das Linhas de Torres é descobrir ou recordar um dos sistemas defensivos mais económicos e eficazes da História Militar. Saiba mais sobre o lugar onde Napoleão foi derrotado pelo exército luso-britânico aqui.

Visita à Adega Mãe

Depois de uma viagem ao ar livre pelo passado e pela natureza seguimos para a Adega Mãe. Ainda que “Mãe” nos remeta para a origem, o espaço nasceu em 2011 pela família Alves, fundadora do Grupo Riberalves, em homenagem à matriarca, Manuela Alves.

AdegaMãe

Morada:
Estrada Municipal 554 – Fernandinho
2565-841 Ventosa
Torres Vedras
Portugal

Contactos:
Email: geral@adegamae.pt
Telefone: (+351) 261 950 100

Restaurante e Enoturismo
Email: enoturismo@adegamae.pt
Telefone: (+351) 261 950 105

Localizada na Quinta da Archeira, Freguesia de Ventosa, conta com uma área de cerca de 30 hectares destinados à vinha e tem capacidade de produção de 1,2 milhões de litros por ano, o que dá origem a uma gama de vinhos completa.

É um bom ponto de partida para descobrir esta terra que também é do vinho. Aqui, tem a possibilidade de conhecer o interior de uma adega e todo o processo de fabrico.

É no topo do edifício da Adega, que também é uma obra arquitetónica moderna, que se encontra o restaurante “Sal na Adega”, perfeito para fazer uma pausa para almoçar e provar alguns dos vinhos deste produtor. Neste restaurante, a estrela é o bacalhau, contudo, existem outras opções com produtos tradicionais portugueses e da época.

No espaço do restaurante também existe uma loja e um “winebar” que beneficia da vista para a paisagem de vinhas que domina a região.

À descoberta do Castro do Zambujal

Classificado como Monumento Nacional, é um sítio arqueológico importante para perceber as primeiras sociedades agrometalúrgicas do Calcolítico na Península Ibérica.

Castro do Zambujal

Morada:
Rua da Fonte 33, Torres Vedras

Museu Municipal Leonel Trindade

Morada:
Praça 25 de Abril, Convento de Nossa Senhora da Graça
2560-286 Torres Vedras
Tel.  261 310 485

Este Castro – que significa povoado fortificado – foi descoberto por Leonel Trindade no início dos anos trinta.

E porque estamos a cerca de cinco quilómetros do centro de Torres Vedras, seguimos para o Museu Municipal Leonel Trindade, que conta com uma importante coleção dedicada às Linhas de Torres e também com outra de arqueologia em que se destaca a ouriversaria pré-histórica. Neste museu, ainda há um dos maiores conjuntos de cabeceiras de sepulturas medievais de Portugal, um núcleo de arte sacra e uma escultura em marfim do Bom Pastor.

Ao sabor do vinho

E se Torres Vedras oferece-nos uma costa de 20 quilómetros de extensão à espera de ser explorada, também conta com cerca de seis mil hectares de área total de vinha, que não só pintam a paisagem como também permitem produzir vinhos de qualidade.

Existem, por isso, várias experiências para explorar e degustar os néctares do lugar que, em 2018, foi eleito “Cidade Europeia do Vinho”. Na sequência do trabalho desenvolvido no âmbito do título, a cidade recebeu, entre os dias 18 e 19 de março, a 12ª edição do Concurso Mundial do Sauvignon.

12ª edição do Concurso Mundial do Sauvignon
créditos: Ana Oliveira

O evento, que contou com 73 provadores de 27 nacionalidades, decorreu no hotel Dolce CampoReal e reforçou a posição de Torres Vedras como destino de enoturismo no mercado internacional.

Segundo Baudoin Havaux, Presidente do Concurso Mundial de Bruxelas, o evento é “mais do que uma competição, é um fórum”, onde se procura garantir qualidade para os consumidores. “Temos que garantir que foi provado pelos melhores para assegurar a qualidade”, explica Havaux. “Tentamos ter a melhores condições – boa luz, temperatura – e atrair os melhores provadores”, acrescenta, assegurando que os “testers” são todos profissionais que, para além de terem de analisar 1120 referências vínicas de 23 países (referências de 2022), ainda são convidados a descobrir a região e a sua vinicultura.

Para finalizar o passeio ao sabor do vinho, nada melhor do que visitar uma quinta que se dedique ao enoturismo como a da Boa Esperança, que tem por base um conceito de vinhas sustentáveis, mas existem mais opções, como pode ver neste artigo.

*O SAPO Viagens visitou Torres Vedras a convite da Câmara Municipal de Torres Vedras

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.