Não há como esconder que o ponto forte da ilha do Sal é a Praia de Santa Maria. Uma das mais bonitas (e limpas!) que já tive oportunidade de conhecer, é aqui que convergem visitantes e locais todos os dias.

Porquê escolher a ilha do Sal?

O Sal é assim o destino perfeito para quem procura uns dias de descanso total, possivelmente em regime “pulseirinha”, em que as únicas decisões a tomar são quando ir à água e o que comer no buffet. Parece-lhe bem?

Estive 6 dias no Sal em regime tudo incluído e, honestamente, foram as férias de que não sabia que precisava. Excelente para descanso físico mas sobretudo mental.

Praia de Santa Maria
Praia de Santa Maria créditos: Geeky Explorer

O que saber antes de uma viagem ao Sal

Escolher bem o hotel

À partida, vai passar grande parte do seu tempo no Sal no hotel e especialmente se optar por um regime de tudo incluído, torna-se importante garantir bons níveis de limpeza, qualidade de comida, e claro, de serviço ao cliente.

Se tiver restrições alimentares, é conveniente contactar o hotel e perguntar que tipo de alternativas oferecem ao almoço e jantar. O meu hotel (5 estrelas) nem sempre tinha pratos vegetarianos ao jantar, por exemplo.

Onde ficar em Santa Maria

A maior parte dos hotéis do Sal ficam localizados junto à praia de Santa Maria, o centro turístico da ilha. Existem imensos hotéis na primeira linha de praia, desde guesthouses até resorts de 5 estrelas por toda a extensão da praia. Atenção: geralmente as zonas mais próximas do pontão serão as menos ventosas, mas também as que concentram mais pessoas.

Euros são aceites!

Ainda que a moeda oficial em Cabo Verde seja o escudo, euros são aceites na esmagadora maioria de lojas e restaurantes. 1 Euro = 110 Escudos Cabo-Verdianos. Não é preciso trocar ou levantar dinheiro de uma caixa multibanco.

Nadar em salinas

Para quê ir ao Mar Morto quando se pode nadar (na verdade, flutuar) na água salgada das salinas da ilha do Sal? As Salinas de Pedra Lume há muito que deixaram de se dedicar à produção do “ouro branco” e hoje em dia, são ponto de atracção de turistas que procuram a experiência de uma água 26 vezes mais salgada que a água do oceano (sim, é mais que o Mar Morto). A paisagem dentro de uma cratera vulcânica é incrível - podia ser o cenário de um filme Star Wars!

Salinas
Salinas créditos: Geeky Explorer

Cuidado com a água

Tal como em outros países, beber água da torneira não é aconselhável. Use água engarrafada ou uma garrafa de água reutilizável com filtro e evite gelo nas bebidas.

O Pontão de Santa Maria

Todos os dias pela manhã, dezenas de barcos chegam ao Pontão de Santa Maria, trazendo o peixe e marisco fresco do dia: atum, cavala, moreia, garoupa, búzios, entre outros. O peixe é arranjado no local e segue depois para os hotéis, restaurantes e mercados locais. É uma das minhas memórias favoritas de Cabo Verde. Vá entre as 11h e as 12h, quando se atinge o pico da azáfama.

Pontão de Santa Maria
Pontão de Santa Maria créditos: Geeky Explorer

A comida local

Mesmo que opte por um regime tudo incluído, recomendo aventurar-se pela comida local, nem que seja por uma vez. Para além do prato típico de Cabo Verde, a cachupa, o peixe e marisco são as melhores opções. Experimente lagosta suada, moreia frita, ou o atum grelhado - não se vai arrepender! O grogue é a aguardente local.

Santa Maria tem a maior fatia dos restaurantes mais populares entre viajantes, como o Americo’s e o Barracuda, mas estes podem ser significativamente mais caros em relação a outros locais da ilha. O Gata Fish, em Palmeira, é um óptimo exemplo de “bom e barato”.

Escolher bem as excursões

Os maiores pontos de interesse da ilha do Sal podem ser percorridos num só dia e daí a grande parte das excursões ser a “Island Tour”. Pode optar por alugar um carro e fazer o itinerário de forma independente - garanta que será um jeep ou tenha boa tracção, pois nem sempre as estradas estão em bom estado.

Se optar por uma tour, é importante realçar normalmente são em grandes grupos (15+ pessoas) como no caso de grandes operadores como a TUI ou em grupos em que pelo menos parte das pessoas têm de ir na parte de trás de uma carrinha ou jipe… ao ar livre. No Sal isto é a receita perfeita um para queimadura solar ou no mínimo, um grande banho de pó.

Dê preferência a agências locais e pergunte sempre pelas condições de transporte e o que está incluído. Depois de perguntar a vários locais, escolhemos a TudSab; fomos num jeep completamente coberto e o nosso guia Albertino foi impecável ao mostrar-nos não só os pontos de interesse mas também como vivem os locais. Ah! E levou-nos um restaurante óptimo onde comemos peixe grelhado fresco. Aprendi imenso sobre o povo de Cabo Verde com ele.

Buracona
Buracona créditos: Geeky Explorer

Se precisar saber mais informações, este artigo sobre a ilha do Sal pode ajudar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.