Muxima significa coração em Kimbundo, um dialeto angolano. Os proprietários não encontravam um nome apelativo para o monte e pediram ajuda a uma amiga angolana – a escolha acabou por recair durante uma conversa ao jantar. Os alojamentos estão decorados com objetos de todo o mundo: há panos do Togo, tecidos indianos, lanternas de Marrocos e candeeiros da Tunísia, só para citar alguns exemplos – colecionados em viagens integradas em projetos humanitários e em turismo.

Os clientes têm várias mordomias. O pequeno-almoço é composto por sumo de laranja natural, leite, café, diferentes tipos de chá, iogurte, pão Alentejano, marmelada, queijos, manteiga, compotas caseiras, mel, bolos caseiros (forno a lenha) e cereais variados. O Muxima tem ainda uma piscina biológica e está a cinco minutos das melhores praias da costa vicentina, como a Arrifana, Monte Clérigo e Amoreira – mesmo com o tempo frio são um excelente percurso para dar um passeio romântico.

Dê ainda uma caminhada pela propriedade ou aproveite os trilhos magníficos que existem na região. Pode ser usado como uma pista de caminhada simples ou complementado com exercícios variados. Suba até ao miradouro da Fóia e relaxe nas Caldas, que têm as melhores águas medicinais.

A não perder

Visite o castelo de Aljezur, um monumento nacional erguido pelos árabes no século X e tomado aos mouros no século XIII. Foi o último castelo a ser conquistado no Algarve. Daqui desfruta-se de uma magnífica vista panorâmica: a nascente sobre a imensa várzea de Aljezur e sobre a zona da Igreja Nova, e a poente sobre o Vale D. Sancho, onde antigamente se cultivava o arroz. Existe ainda uma fonte que, segundo diz a lenda, comunica com o castelo através de uma passagem subterrânea e que ali se escondera uma bela moura amada por um cristão.

Onde comer? 

Restaurante Pont'a Pé, a apenas 1500 metros do Muxima. Serve comida tradicional portuguesa num ambiente familiar.

Como chegar

Tomar a A2 até Sines, seguindo posteriormente as indicações de Porto Covo. Continuar até Vila Nova de Milfontes, passar a ponte do rio Mira e a cerca de 15Km virar a direita na direção do cabo Sardão. Prossegue depois para Lagos, passando obrigatoriamente por Odeceixe e Aljezur. Atravessa o centro desta vila e à saída em direção a Lagos, anda 800m e vira na primeira estrada rural à esquerda, antes de iniciarem curvas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.