A Quinta do Pisão de Cima situa-se a norte de Cascais, no sopé da serra de Sintra, e está inserida no Parque Natural de Sintra-Cascais. Representa um património paisagístico natural de grande importância, quer pela diversidade da fauna e flora típicas desta área, quer pelas ruínas de valor cultural e arquitetónico.

Ao criar a Quinta do Pisão, a Câmara Municipal de Cascais pretende salvaguardar este património natural, cultural e histórico e, ao mesmo tempo, dar a conhecê-lo com o intuito de sensibilizar o público para a importância da preservação da Natureza.

A Quinta do Pisão tem paisagens incríveis e uma grande diversidade de espécies da fauna e flora mediterrâneas de grande valor de conservação por albergar, numa área relativamente pequena, uma grande diversidade de espécies, que se podem apreciar através de passeios e caminhadas pelos vários trilhos.

Inclui ainda a gruta de Porto Covo - onde foram identificados vestígios de uma comunidade do Período Calcolítico e da Idade do Bronze - e a Capela dedicada a Nossa Senhora da Conceição entre outras atrações.

Neste cenário natural pode-se desfrutar de passeios de burro e cavalo, percursos guiados por especialistas para identificação da flora, observação de aves ou passeios interpretativos. Na tentativa de trazer as tradições da terra para a cidade, os visitantes podem ainda, aos fins de semana, colher diretamente da Horta Biológica os vegetais, legumes e ervas aromáticas que pretendem comprar. A venda dos produtos agrícolas reverte a favor dos trabalhos de gestão ambiental que são continuamente realizados na Quinta.

Alterações climáticas são o mote para instalação artística

No âmbito da sensibilização do público para a importância da preservação da Natureza, a Cascais Ambiente desafiou Sofia Barros - reconhecida pelos projetos ligados à natureza, arte, ciência e educação - para desenvolver uma instalação artística que representasse e salvaguardasse as causas ambientais.

Nasce então, com este propósito, a escultura RISE and FALL cujo projeto e direção de arte é confiado a Sofia e a conceção e implementação ao artista ambiental inglês Stuart Ian Frost.

O ponto de partida da escultura é uma árvore da espécie "Eucalyptus Globulus" ou Eucalipto-azul-da-tasmânia. Este particular Eucalipto secou e morreu, como muitas outras espécies de árvores, devido à falta de água. Para dar visibilidade às questões ambientais urgentes, tais como a Seca e as Alterações Climáticas, o artista ambiental Stuart Ian Frost gravou na superfície desta árvore de 15 metros centenas de gotas de água que caem continuamente em conjunto lembrando, em simultâneo, lágrimas.

Recorde-se que em 2017 Portugal sofreu uma seca extrema, que afetou vastas áreas de floresta por todo o país, tornando assim a paisagem mais indefesa e vulnerável a fogos florestais. RISE and FALL é, seguramente, uma obra de arte que merece ser apreciada por adultos e explicada às crianças.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.