A distinção foi em 2016 e não foi a primeira vez, apesar de o parque ser recente. Faz agora quatro anos.

O Parque fica às portas Lisboa e tem duas particularidades muito relevantes.
A primeira é que requalificou uma área significativa da zona ribeirinha do Tejo, nas freguesias de Alverca do Ribatejo, Forte da Casa e Póvoa de Santa Iria.

A segunda é que devolveu o rio às populações e, por isso, não se estranha os prémios e a presença de muitas pessoas, até de estrangeiros.
Não se sente grande concentração de visitantes porque o espaço é muito grande e pode-se passear à vontade, com calma e sem barulho.
A experiência torna-se ainda mais interessante porque o horizonte evidencia o contraste.

Parque Ribeirinho da Póvoa de Santa Iria
Área agrícola entre o Tejo e a zo a urbana créditos: Who Trips

Num dos extremos do Parque vê-se ao longe a Ponte Vasco da Gama, a grande cidade. Nas nossas costas estão os prédios de vários andares das freguesias vizinhas. Vistas que remetem para uma vida urbana agitada... Mas apesar desta proximidade, estamos em frente ao Tejo, com aves a voarem, ouve-se apenas o vento ou o nosso andar no passadiço de madeira.

Parque Ribeirinho da Póvoa de Santa Iria
Ribeira afluente ao Tejo créditos: Who Trips

Para quem segue na estrada, ao lado do espaço urbano, não se apercebe que, afinal, o Tejo está aqui tão perto.

O Parque tem uma área de 15 hectares (ha), mais de 6 km de trilhos e ciclovias e atravessa áreas urbanas, antigas zonas industriais, espaços agrícolas e naturais, em particular sapais.

Parque Ribeirinho da Póvoa de Santa Iria
Aves no Tejo créditos: Who Trips

É por aqui que vemos voar várias aves, entre elas, o rouxinol grande dos caniços, o verdilhão, cartaxos e chapins azuis.

O Parque tem várias valências: desporto, recreio e conservação da natureza.
Uma das áreas, com 2 ha, tem vários equipamentos , entre eles o Centro de Interpretação Ambiental e da Paisagem e ainda a Praia dos Pescadores.

cais palafítico
Cais palafítico créditos: Who Trips

Quem quiser dar um passeio um pouco mais longo tem uma outra oportunidade de se surpreender. Mesmo às portas de Lisboa encontra um cais palafítico que é utilizado por pescadores avieiros.
O cais da Póvoa de Santa Iria tem origem no século XIX e hoje é também um dos locais preferidos dos fotógrafos.

O acesso por carro não é difícil e pode ser um passeio para toda a família. Muitos percursos não têm sombras nem zonas de refúgio. Chapéu e proteção solar é recomendado, caso esteja sol.

Parque Ribeirinho da Póvoa de Santa Iria "é um local soberbo" faz parte do podcast semanal da Antena1 Vou Ali e Já Venho e pode ouvir aqui.
A emissão deste episódio, Parque Ribeirinho da Póvoa de Santa Iria, pode ouvir aqui.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.