O chafariz é de estilo gótico, foi construído no século XIV e agora está em destaque numa praça do centro histórico.

Tem vários brasões reais e parte da estrutura ainda é a original. A base é de pedra e a parte superior é de alvenaria e corresponde a obras mandadas fazer por D. Manuel no séc. XVI.

Chafariz dos Canos
O chafariz é de planta hexagonal créditos: Who Trips

Na altura em que foi construído foi inovador em termos arquitectónicos porque tem uma planta hexagonal quando o hábito era ser rectangular ou quadrada.

O local onde foi colocado correspondia a uma das portas da cidade.

Chafariz dos Canos
Ruínas das antigas muralhas créditos: Who Trips

Na rua há vestígios das muralhas que foram entretanto descobertas quando da construção de um prédio.

Chafariz dos Canos
Detalhe na estrutura manuelina créditos: Who Trips

O Chafariz dos Canos está classificado como Monumento Nacional e esteve a funcionar quase sete séculos. Deixou de ter água potável há alguns anos por motivos de racionamento da água. A fonte está fora da cidade.

Chafariz dos Canos
Aqueduto numa das entradas de Torres Vedras créditos: Who Trips

A água é transportada num aqueduto que domina a paisagem urbana numa das entradas de Torres Vedras e depois é canalizada e foi este o motivo porque foi designado Chafariz dos Canos.

O chafariz abastecia a população mas os presos que estavam no rés do chão dos Paços do Concelho queixavam-se de que não lhes era dada água. O edifício não está longe do chafariz mas nem assim era abastecida a cadeia.

Chafariz dos Canos
Paulo Ferreira créditos: Who Trips

Conforme conta Paulo Ferreira, técnico de Turismo da Câmara Municipal, os presos revoltaram-se várias vezes e num dos motins provocaram um incêndio que destruiu uma parte significativa do arquivo de Torres Vedras.

Chafariz dos Canos
Chafariz na Praça do Municipio créditos: Who Trips

A cidade ficou sem registos e os presos ficaram com água porque o rei D. José mandou construir um outro chafariz anexo aos Paços do Concelho e que ainda lá está.

A sede do município e a cadeia já mudaram de instalações e o prédio funciona agora como um centro cultural e de turismo.

O vereador que roubou o pelourinho

Ainda bem que os Paços do Concelho estão noutro local. É uma medida preventiva para evitar uma outra iniciativa radical que ocorreu no Largo do Município no século XIX.

Chafariz dos Canos
O que resta do pelourinho créditos: Who Trips

O pelourinho, do século XVI, estava no centro da praça, em frente aos Paços do Concelho.

Numa visita Torres Vedras a rainha D. Maria e a comitiva real  não podiam cruzar a praça porque o pelourinho impedia a passagem do coche real. Um vereador resolveu o problema durante a noite. Fez desaparecer o pelourinho que só muitos anos depois foi encontrado a fazer de parede numa habitação.

A parte recuperada do pelourinho voltou à praça mas num lugar mais discreto.

Chafariz dos Canos
Agora o pelourinho está recolhido créditos: Who Trips

O motim da água e o misterioso desaparecimento do pelourinho de Torres Vedras faz parte do podcast semanal da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e pode ouvir aqui.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.