Luís Correia Carmelo é investigador, doutorado em Artes, Cultura e Comunicação, nasceu em Portugal, mas parte da infância e da juventude foi passada no Brasil.

Luís Correia Carmelo
créditos: andarilho.pt

A sua entrada no universo da narrativa oral foi pela porta do teatro.

Luís Correia Carmelo
créditos: andarilho.pt

“Formei-me como ator, fiz um projeto teatral e lentamente fui percebendo que gostava mais de estratégias narrativas de representação de uma história do que a representação dramática. Gostava mais de pôr as pessoas a imaginar as histórias, a visualizar mentalmente as histórias, do que a fazê-las à sua frente.”

Luís Correia Carmelo
créditos: andarilho.pt

Talvez seja esta a razão porque nas vezes que o vi contar histórias a sua postura não é muito teatral, cénica. Vive mais do momento, da relação com o outro.

Luís Correia Carmelo
créditos: andarilho.pt

“O aspeto relacional para mim é essencial. É algo comum a qualquer contador de histórias. Eu podia contar histórias através de filmes, música ou a escrever, mas eu gosto assim, oralmente. Ser senhor de toda a minha dramaturgia, da minha técnica. No outro lado da moeda, eu gosto de me relacionar com as pessoas.”

Luís Correia Carmelo
créditos: andarilho.pt

A escolha das histórias que vai contar, o encadeado e o ritmo são outros fatores que ajudam a estabelecer a relação com o público. No entanto, ao contrário da minha expectativa, diz que a pronúncia da sua vivência no Brasil “é algo que me identifica, que dá uma estranheza, que conota e que tive de me habituar a viver com.

Luís Correia Carmelo
créditos: andarilho.pt

Eu acho que no mundo em que estamos hoje, infelizmente, as questões da diversidade são urgentes. As sociedades precisam de resolver rapidamente. Ser diverso nunca é uma vantagem, apesar do que possam dizer romanticamente.”

Outra marca de Luís Correia Carmelo é a utilização de uma concertina onde procura formar uma tríade que funciona como um todo: o seu corpo, a voz e a música.

Luís Correia Carmelo

“A concertina surgiu pelo meu interesse sobre o instrumento. Procurava um que pudesse tocar e falar ao mesmo tempo. Também por outras questões como a sonoridade. É um instrumento que também respira, tem um fôlego, permite-me ter uma mão livre e posso falar facilmente. Eu uso a concertina num repertório muito específico que são as Contatinas.

São histórias, quase todas originais, que eu escrevi, para composições que fiz com a concertina. A música e as histórias nasceram em simultâneo. A música não é um segundo nível narrativo, uma banda sonora. Faz parte. Eu não consigo contar essas histórias sem a concertina e também é difícil tocar as músicas sem as histórias.”

Luís Correia Carmelo
créditos: andarilho.pt

Luís Correia Carmelo percorre todo o país a contar histórias e é mais frequente encontrá-lo em bibliotecas, escolas, teatros ou outros espaços de coletividades.

Luís Correia Carmelo
créditos: andarilho.pt

Luís Correia Carmelo – uma concertina de histórias para contar faz parte do programa da Antena1 Vou Ali e Já Venho e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.