Todos os anos, é aqui que toma lugar a maior noite branca da Europa, uma festa que enche as ruas do centro com animação e entretenimento para todas as idades. No Natal, em vez de filhoses ou bolo-rei, a ocasião é festejada com moscatel e banana, na Casa das Bananas. Tudo isto, e muito mais, faz desta cidade uma das mais especiais que temos. Uma cidade humana, acolhedora e, simultaneamente, uma cidade de todos e para todos, onde fazer um gap year seria, sem dúvida, uma experiência de grande valor.

Quando se pensa em Braga pensa-se automaticamente no Bom Jesus do Monte (e com razão!). Estampado no monte, erguido sob as árvores e envolto em natureza, este é um dos locais mais famosos do nosso país. Não só por ser um lugar importante a nível religioso, mas por ter uma beleza que dificilmente passa despercebida. Os inúmeros degraus, ladeados de cenas religiosas e pequenas fontes, oferecem um ambiente quase místico, envolto em beleza natural e esporádicas espreitadelas a uma paisagem lindíssima.

Já foste ver Braga por um canudo?
créditos: Madalena Saraiva

Não menos interessante é o elevador que sobe ao santuário. Este tem a particularidade de ser primeiro funicular da Península Ibérica, e o elevador mais antigo do mundo a funcionar com o sistema de contrapeso de água, sendo uma experiência que vale a pena ter. Chegado ao topo, um passeio pelos jardins, um passeio de barco no lago e uma entrada ao santuário são atividades obrigatórias. Espreitar Braga pelo canudo é também uma opção (vá, assim podes dizer que viste, de facto, Braga por um canudo). Mas mais indispensável ainda, é descontrair e observar um pôr-do-sol espetacular lá do alto.

Um pouco mais acima, existe o Santuário do Sameiro. Sendo o ponto mais alto da cidade, é daqui que se consegue ter a melhor vista sob Braga, principalmente se subirem ao zimbório (o que recomendo bastante). Importante também é respirar um pouco de ar puro, enquanto se passeia pelas praças e jardins do lugar.

O centro da cidade tem um encanto especial, com a sua grandiosa Sé e o famoso arco da Porta Nova, uma das edificações mais icónicas da cidade, de onde vem a expressão “és de Braga?”, cada vez que alguém deixa a porta aberta. O jardim de Santa Bárbara é, também, um ótimo sítio para descontrair, e apreciar as inúmeras flores que lá se encontram.

Já foste ver Braga por um canudo?
créditos: Madalena Saraiva

Um dos edifícios mais antigos de Braga, o Mosteiro Tibães, serviu, em tempos, como centro de formação de arquitetos, onde se formaram grandes mentes ligadas às artes em Portugal. Este merece visita pela sua importância histórica e beleza inegável.

Para os amantes das artes, da cultura, da contemporaneidade, Braga oferece um espaço muito especial, nascido no âmbito da capital Europeia da Juventude, o gnration. Um antigo edifício da GNR, agora deu luz a um espaço - Gnration - que alberga start-ups, projetos inovadores e diversas exposições. Tem uma livraria, uma sala de concertos, uma galeria de arte, um laboratório digital, vários pátios, entre outros. Um espaço dedicado à criatividade e à juventude. Vale a pena a visita.

Da cultura faz também parte a gastronomia. E, para mim, não existe sítio melhor para encher a barriga e a alma de sabores bem portugueses que Braga. Quem quiser fazer uma refeição tipicamente bracarense, não pode dispensar um Bacalhau à Narcisa ou umas Papas de Sarrabulho, seguidas de um Pudim Abade de Priscos para sobremesa. Para os amantes de francesinhas, existe um restaurante ao qual não podem deixar de ir: a Taberna Belga. Bem diferente das francesinhas do Porto, este restaurante é muito famoso na cidade, por ter aquelas que são, na minha opinião, as melhores francesinhas de Braga. Para os amantes de hambúrgueres, existem também uns muito especiais, na DeGema Hamburgueria Artesanal, um restaurante que faz hambúrgueres diferente, com nomes e sabores muito peculiares e típicos da região.

Por último, gostaria de acrescentar que o que faz desta cidade especial são, acima de tudo, as pessoas. O ambiente é construído pelos que dele fazem parte e os sorrisos e gestos de bondade são elemento único deste. Diz-se que as pessoas do norte são as mais calorosas do nosso país, as mais autênticas e acolhedoras. Acrescentaria que as de Braga são o exemplo mais perfeito.

Com isso em mente, e porque um gap year é mais que apenas visitar locais turísticos, contribuir um pouco para a comunidade local fazendo voluntariado parece um bom ponto de partida para viver a cidade a 100% e ter uma experiência enriquecedora. O Hospital de Braga, por exemplo, tem um programa de voluntariado que visa humanizar os utentes e as famílias, com cerca de 100 voluntários ativos. Também a associação bracarense amigos dos animais (ABRA) aceita voluntários, com o único critério de oferecerem o seu tempo e amor pelos nossos amiguinhos de quatro patas. Há muito por onde pegar, muito que fazer e, mais importante, muito que viver, nesta grande cidade.

Imagem de destaque: Afonso Sereno

Texto por: Carolina. R. de Sousa

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.