O Museu da Lourinhã está aberto desde 1984 e fica bem no centro da vila. A primeira boa surpresa quando lá cheguei foi perceber que é bem maior do que aparenta ser no exterior e também bastante completo.

Tem uma exposição inicial dedicada ao passado da Humanidade (com vestígios arqueológicos da ocupação humana pela região da Lourinhã, desde a pré-história até à actualidade).

Para os miúdos, esta será a parte menos interessante da visita. Mas não desanimem se ouvirem o habitual “que seca, mãe!”. Respondam apenas que o melhor ainda está por vir. É que, neste caso, está mesmo!

Na sala seguinte, estão vários objectos antigos que chamam a atenção para mais de vinte profissões (muitas já desaparecidas) e peças que demostram o modo de vida local nos últimos 200 anos. As crianças podem assim ver como se vivia nos tempos dos nossos avós.

Os brinquedos, os jogos tradicionais, um tear manual, o sapateiro, o alfaiate, o amolador, o boticário, o ourives ambulante e até utensílios da pesca e agricultura da região estão lá.

Mas como a Lourinhã é considerada a capital portuguesa dos dinossauros, eram principalmente os vestígios de quando eles andaram por estas terras que queríamos ali ver.

E foi precisamente isso que fomos encontrar num edifício à parte, depois de passar por um pátio interior e uma pequena casa, a Casinha Tradicional Saloia, que recria uma verdadeira habitação de época.

Os miúdos podem assim contactar com uma realidade que não conheceram, quando uma família inteira dormia apenas numa divisão ou o lavatório estava a um canto do quarto, por exemplo.

E foi nesse tal edifício (na parte de trás do Museu da Lourinhã) que vimos esqueletos de dinossauros, ouvimos histórias com muitos anos e aprendemos mais sobre estes enormes animais que viveram por aqui muito antes de nós.

Neste Museu da Lourinhã está a maior exposição ibérica de fósseis de dinossauros do Jurássico Superior, uma das mais importantes colecções mundiais, imaginem! Com exemplos de dinossauros carnívoros, dos gigantescos herbívoros e de ninhos com ovos fósseis.

Num desses ninhos está um dos mais antigos embriões de dinossauros do mundo! Um deles é até considerado o segundo maior ninho conhecido, com mais de 100 ovos. Sim, é completamente arrepiante conseguir ver um embrião de um dinossauro - o guia fez um truque com o telemóvel que impressionou mesmo!

Na exposição, é ainda possível ver outros fósseis de diferentes invertebrados (peixes, crocodilos, tartarugas e mais mamíferos de diversas épocas geológicas). Saindo deste edifício, existe também uma oficina onde se trabalha diariamente nos importantes achados (perguntem se podem espreitar) e ao lado, uma loja de recordações.

MUSEU DA LOURINHÃ
Morada: Rua João Luís de Moura, 95
Lourinhã, Portugal
Telefone: 261 414 003
Bilhetes (em março de 2017):
Adulto – 4 €
Jovem (6 aos 11 anos) – 2 €
Criança (até aos 6 anos) – grátis
Visita guiada – acresce 1 € à entrada (às 11h e 15h, com o mínimo de 3 visitantes)
Encerra nos dias 1 de Janeiro, domingo de Páscoa, 1 de Maio e 25 de Dezembro.
De Setembro a Junho, encerra às segundas-feiras.

Por Joana Batista, do Viajar em Família

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.