Historicamente, o Canadá desenvolveu-se no século XVIII a partir dos americanos que não queriam ser independentes do Reino Unido – os “loyalists” – e continuou dependente da matriz europeia, seguindo-lhe a estrutura social e até a arquitetura. Toronto, então chamada York, foi fundada em 1773, junto ao sistema aquático complexo, constituído por vários rios e lagos, que lhe dava proteção militar e proporcionava terrenos férteis.

Por outro lado, o Canadá tem prática política consistente de aceitação de imigrantes, sem preconceitos étnicos e, atualmente, Toronto tem mais de duas mil etnias não brancas, que falam 150 idiomas. Das grandes cidades do mundo, é a que tem maior percentagem de estrangeiros como residentes permanentes. Basta dizer que o número de telefone de emergência (911, é bom saber) está preparado para atender nessas línguas todas.

Espalhadas ao longo do Rio São Lourenço, até ao Lago Ontário, há inúmeras comunidades que mantêm muitos costumes originais; encontramos uma Chinatown, mas também uma Koreatown, Greektown e Little Jamaica. Little Portugal, também conhecida como Portugal Village, fica na cidade antiga, à volta da Avenida Landsowne e da Rua College. (Aliás, Toronto é “cidade irmã” de Lisboa.) Não me esqueço de que quando entrei na cidade a primeira cena que vi no passeio foi uma mãe tipicamente portuguesa a dar uma descompostura ao filho de dedo no nariz no meio da rua...

chinatown toronto
Chinatown créditos: chensiyuan / CC BY-SA 4.0

É muito agradável andar pela cidade plana, que tem temperaturas moderadas durante todo o ano (entre 28 e -2) e as quatro estações a que estamos habituados. Apenas chove no verão, ao contrário de Portugal.

Os transportes públicos são excelentes – metro e autocarros de trolley – e há faixas para bicicletas e trotinetas. (Não havia quando lá estive, mas agora os meus amigos de Toronto queixam-se tanto como os de Lisboa.)

E por falar em transportes, aproveite os voos da TAP para viajar para Toronto e partir à descoberta do que esta cidade tem para oferecer.

Grandes negócios

Toronto é o centro de negócios do Canadá, com a Bolsa de Valores nacional e os cinco maiores bancos canadianos, além de uma infinidade de empresas terciárias. Estas atividades criaram uma Baixa cheia de edifícios faraónicos, mas no meio deles e a toda a volta, ao longo do rio e do lago, encontramos bairros ainda do século XIX, onde se alinham vivendas com as características janelas de sacada, e edifícios habitacionais das décadas de 1960-70.

sun life centre toronto
Sun Life Centre, na Baixa créditos: Rick Ligthelm / CC BY 2.0

Além das atividades financeiras e comerciais, a cidade é o centro dos media e comunicações do país. É o terceiro centro mundial de produção de cinema e TV – a seguir a Los Angeles e Nova Iorque - e sede das grandes redes televisivas, jornais e revistas. Esta acumulação de gestores, atores, artistas e personalidades de projeção nacional resulta numa vida social intensa, com restaurantes de todas as cozinhas do mundo, vida noturna animada e muitas atividades culturais.

Espaços públicos e espetáculos

É muito agradável passear pela cidade durante o dia, cheia de parques, fontes e praças modernas. A principal é onde fica a Câmara Municipal, chama-se Nathan Philips Square, na intersecção de Queen Street e Bay Street e é um bom ponto para começar. Os jardins de Allan são muito antigos, com uma estufa linda do século passado. Também vale a pena passear pela Praça Dundas, no bairro de Yonge.

Muitas construções do passado industrial foram convertidas em museus, centros de artes e de entretenimento. O Don Valley Brick Works é uma antiga fábrica de tijolo e o Distelery District, no bairro Liberty Vilage, também tem interesse.

A estrutura mais visível da cidade é a Torre CN, com 553 metros – era a mais alta do mundo até 1977 – e proporciona uma vista abrangente inesquecível.

Há muitos museus de referência, mas a arquitectura do Royal Ontario Museum, desenhado por Daniel Libeskind e a Art Galery of Ontario, refeita por Frank Gehry, justificam as visitas.

royal ontario museum
Royal Ontario Museum créditos: Raysonho @ Open Grid Scheduler / Grid Engine / CC0

Quanto às atividades noturnas, para além dos clubes e restaurantes, Toronto tem mais de cinquenta companhias de ballet e dança contemporânea, seis companhias de ópera e duas orquestras sinfónicas. Além destes, é preciso estar atento aos incontáveis espectáculos e apresentações feitas pelas comunidades étnicas – que tal uma ópera chinesa ou um baile de mariachi?

O desporto mais popular no Canadá é o hóquei no gelo. Há até um museu com vídeos entusiasmantes no Hockey Hall of Fame, uma estrutra neoclássica adaptada.

Agora, um passeio que nunca me esquecerei foi o que fiz pela estrada que vai de Toronto a Montreal. São cerca de cinco horas a andar bem, mas vale a pena desacelerar e apreciar a contínua paisagem de conto de fadas, ao longo do rio. Com muito verde, águas calmas e ancoradouros com barcos de recreio. E em Montreal também há muito que ver!

Toronto desde 226€