Não é fácil circular nesta cidade densa, onde não se anda a pé, o metro não chega a toda a parte, os autocarros são de evitar, os carros estão em permanente gridlock e o estacionamento é difícil. A intensa vida negocial, cultural e de lazer ocorre dentro de portas. Vai-se de um endereço para o outro a contar com o tempo da viagem, no carro de um amigo, de táxi, numa viatura com motorista, ou até de helicóptero. Só em certos bairros circunscritos se anda a pé.

Edifício Mirante do vale, São Paulo, Brasil
créditos: Felipe Mostarda, CC BY-SA 4.0

A área de 9.300 km2 (mais de 10% da área de Portugal!) está dividida em 45 municípios e sete microrregiões. Quem aqui vive, conhece a sua região e as grandes vias para as outras, para o aeroporto ou para sair por estrada.

Quem vai a São Paulo geralmente vai a negócio, mas a cidade tem uma actividade cultural e de lazer intensas que valem uma visita turística.

Cultura e lazer

Há a ideia de que a cultura e o lazer acontecem sobretudo no Rio de Janeiro, porque é a sede da maior difusora do Brasil no estrangeiro, a Rede Globo, e tem praias famosas; mas na verdade há muito mais museus, galerias de arte, teatros e espectáculos em Sampa (como os brasileiros lhe chamam).

É também uma cidade cosmopolita, porque em diferentes épocas recebeu vagas de imigrantes de todas as partes do mundo - mais notoriamente italianos, espanhóis, portugueses, japoneses e sírio-libaneses, além de nativos dos outros países latino-americanos. É o maior mercado de arte da América do Sul e um centro intelectual notável, com universidades de todas as especialidades.

MASP Museu de Arte de São Paulo, Brasil

De entre os muitos museus, o meu preferido é o MASP (Museu de Arte de São Paulo), instalado num edifício internacionalmente famoso desenhado por Lina Bo Bardi, que também concebeu o centro cultural CESC Pompeia. Entre o MASP, o Museu de Arte Moderna, e a sede da Bienal de São Paulo, no Ibirapuera (desenhada por Niemeyer, inaugurada em 1951 a par com a Bienal de Veneza e a Dokumenta de Kassel), podemos ver o mais representativo da arte brasileira. O Museu da Imagem e do Som tem um acervo de fotografia e cinema inigualáveis; a Pinacoteca, o Museu de Arte Contemporânea e o do Ipiranga também valem uma visita. Destaque para o Museu da Língua Portuguesa, localizado na antiga estação ferroviária da Luz, no centro da cidade.

Estação da Luz, Museu da Língua Portuguesa

As numerosas galerias de arte comercializam artistas clássicos e actuais, com vernissages diárias.

Os teatros são demasiado numerosos para listar: o Municipal, FAAP, Ruth Escobar, Pontifícia Universidade, Augusta, Sérgio Cardoso e muitos mais garantem que se possa assistir a peças e espetáculos diariamente durante um mês – e no mês seguinte, novos eventos acontecem.

Parque Ibirapuera à noite, São Paulo, Brasil
créditos: Silvio Tanaka, CC BY 2.0

Há vários parques urbanos, nomeadamente o do Ibirapuera, Cantareira, Jardim Botânico, Butatã (especializado em ofídios); ao todo são 106, o que dá a inacreditável média de 14m² de verde por habitante. A ideia de que São Paulo é uma “selva de cimento” não corresponde à realidade, embora as áreas densamente povoadas por edifícios de 20 e 30 andares impressionem quando nos aproximamos pelo ar.

São paulo, Brasil

Restaurantes e compras

Sendo a vida social uma vivência de interiores, a cidade tem mais de trinta shoppings, os mais famosos dos quais são o da Avenida Paulista e o Ibirapuera. Na região dos Jardins ficam as lojas de luxo, onde se encontra não só as marcas internacionais como a profusa e muito chique moda brasileira, e ainda mobiliário, acessórios para a casa e tudo o mais que os nossos gostos possam ambicionar. Para apreciadores, é onde se encontra o melhor vestuário de linho, de cores extraordinárias e corte contemporâneo.

Mas é na restauração que São Paulo brilha. Não conhecemos nenhuma outra cidade com tanta oferta de cozinhas de todas as latitudes, com destaque para a italiana, do Médio Oriente e japonesa. Quanto à cozinha brasileira, as famosas feijoadas e picanhas, está por toda a parte. As churrascarias, onde se come a quantidade que se quer, sucessivamente levada à mesa, são justamente famosas – enormes e muito animadas. Os meus restaurantes preferidos são o Fasano, o Gero (cozinha clássica italiana de alto nível), e o Rodeio, famoso pelas suas carnes na brasa, mas a lista dos imperdíveis – para usar uma expressão brasileira – passa por pizzarias e casas de tapas, além de bares com petiscos abundantes. Todos os hotéis têm destes bares, onde se come mais do que se bebe.

Avenida Paulista, São Paulo, Brasil
à noite créditos: By The Photographer, CC BY-SA 4.0

As padarias, geralmente de portugueses, são mais pastelarias, com muitas variedades de pão e acepipes, especialmente o famoso pão de queijo.

Um tipo de estabelecimento muito próprio de São Paulo é o restaurante-bar-boite-casa de espetáculos. Nos meus tempos, o mais famoso era o Gallery, nos jardins, mas há pelo menos uma dúzia que permite passar a noite a comer, beber e divertir-se. São Paulo está no circuito das grandes estrelas da música e com sorte pode-se apanhar uma Ariana Grande ou os U2, geralmente num dos grandes estádios de futebol da cidade, que tem dois clubes eternamente rivais - o São Paulo e o Corinthians.

Há uma piada que se conta: os cariocas trabalham pouco e gostam de dizer que não fazem nada; os paulistas trabalham muito e têm vergonha de dizer que se divertem. Talvez seja verdade; mas não há cidade onde quem trabalha tenha mais opções para se divertir.

Verifique por si; reserve já os seus bilhetes para São Paulo com a TAP.

Texto: José Couto Nogueira

São Paulo desde 375€