O programa de intercâmbio entre estudantes na Europa conta atualmente com mais de 30 países envolvidos e, de acordo com um estudo da Comissão Europeia, os estudantes que fizeram Erasmus têm maior probabilidade de encontrar um emprego um ano após a conclusão da licenciatura. Além isso, a oportunidade única de estudar no estrangeiro durante algum tempo implica outros aspetos importantes no crescimento pessoal, principalmente na transição entre a adolescência e a vida profissional: Aprender idiomas, partilha de espaços e culturas e, acima de tudo, adquirir novas vivências interpessoais.

Segundo a revista Volta ao Mundo, os alunos do sul da Europa são os que mais aderem a este programa maior importância e os portugueses não são exceção. Os dados da Comissão Europeia mostram que, em 2015, dos 337 507 alunos portugueses a estudarem no ensino superior em território nacional*, 8033 participaram no programa Erasmus. Desde que esta iniciativa foi lançada, cerca de 120 mil estudantes portugueses já estiveram a estudar noutro país.

As universidades de Lisboa, Porto e Coimbra são as que enviam mais estudantes para fora. Os estudantes portugueses preferem períodos mais curtos, de três a seis meses, e a maior parte dos participantes nacionais são mulheres.

Espanha, Itália, França, República Checa, Roménia, Hungria, Alemanha, Holanda, Reino Unido e Polónia são as escolhas dos portugueses na hora de escolher um país para partir rumo à aventura internacional universitária. Na fotogaleria abaixo fique a conhecer quais são as cidades escolhidas em cada um dos países. 

*artigo atualizado às 22h para corrigir o número de estudantes portugueses em Erasmus.