Existem destinos com os quais sonhamos a vida toda e no momento em que lá colocamos os pés são uma tremenda desilusão. Felizmente, foram muitos mais aqueles que cumpriram, ou excederam essas mesmas expetativas, e esta última viagem pela Itália vem fazer parte dessa lista.

A primeira vez que olhamos com atenção para os belos cenários do Lago Como, a norte de Milão, foi no filme 007 Casino Royale e desde aí a vontade de visitar este lugar foi-se aguçando à medida que fomos pesquisando informações sobre o mesmo.

Esta foi uma viagem especial para nós, enquanto casal que adora viajar, uma vez que levámos, pela primeira vez, a nossa filha connosco. Ela tem apenas 15 meses e queríamos que ela começasse já a fazer parte das nossas aventuras. Visitamos vários lugares que abraçam o Lago Como e o Lago Maggiore e ainda demos um saltinho a uma das capitais da moda, Milão.

Destes três lugares, escolhemos o Lago Como como principal referência desta viagem. É um lugar sem dúvida mágico, que nos remete para uma época de classicismo que, hoje em dia é muito difícil de encontrar. Aliás, é uma região onde as pessoas investem nos seus terrenos, demonstrando que se preocupam com aquilo que é deles, mantendo os edifícios, jardins, passeios e estradas preservadas de forma a que combine com a atmosfera adjacente, ou seja, o lago.

O lago não deixa de ser um pano de fundo e isso é importante realçar, pois não foi na água que passámos as nossas férias, mas sim nos lugares que ‘tocam’ o lago, todos eles muito charmosos, apostando no comércio local para não perder a identidade. Aqui temos de realçar a forma controlada como o turismo cresce nesta zona.

Depois de visitarmos o Lago Como, partimos em direção a Milão, uma cidade com a qual não conseguimos ter uma relação afetiva, achando que lhe falta mais identidade para conseguir arrebatar corações e sentir o desejo de lá voltar. Foi apenas uma visita de uma ida. O mesmo se passou com o Lago Maggiore, lugar que merece uma visita, principalmente em Stresa, o ‘coração’ deste lugar. É a partir desta vila que se consegue visitar mais facilmente o arquipélago Borromeu, um conjunto de ilhas que pairam magicamente sobre a água do lago.

Bom, acho que já perceberam que recomendamos de olhos fechados esta região. Quanto à nossa primeira viagem em família? Foi um sucesso. Se têm dúvidas quanto a viajar com um bebé, se vale a pena, se ele irá desfrutar, se se irá recordar, acreditem que sim, vale a pena. Mesmo que a nossa filha não se lembre destes dias no futuro, construíram-se bons momentos em família e memórias que nós iremos sempre recordar com muito carinho.

Se ficaram curiosos em conhecer esta zona e querem saber mais, não podem perder o nosso roteiro e não deixem de espreitar a nossa fotogaleria no topo do artigo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.