A próspera capital da Malásia é uma metrópole moderna onde muitas culturas e religiões se unem para dar vida e cor a uma cidade vibrante e agitada.

Passei várias vezes por lá a caminho de outros destinos porque o aeroporto de Kuala Lumpur é um dos mais importantes do Sudoeste Asiático e sempre que posso paro dois ou três dias para conhecer melhor a Malásia e, claro, a sua capital.

As três principais etnias presentes na cidade são a malaia, a chinesa e a indiana. Há décadas que elas coexistem e contribuem para a riqueza da capital da Malásia com a sua língua, a sua cultura, a sua religião, história, tradições e com a sua gastronomia. Kuala Lumpur é um paraíso para quem gosta de comer bem! Sabores fortes e exóticos, cheiros únicos, apimentados… tudo é uma tentação.

Kuala Lumpur: uma eletrizante metrópole de contrastes que convivem em harmonia
Comida de rua créditos: Travellight World e H. Borges

A comida de rua destaca-se, mas não há falta de restaurantes com estrelas Michelin para quem gosta de algo mais sofisticado.

Para uma cidade com tantas diferenças culturais, todos parecem dar-se muito bem, sem grande tensão ou racismo e isso é bonito de ver. Há igualmente uma próspera comunidade de expatriados vindos de todo o mundo que acrescenta mais variedade e energia à cidade.

As pessoas geralmente são gentis e amigáveis e quase todos falam inglês o que facilita muito a comunicação e ajuda a criar amizades.

Depois há impressionantes templos hindus, mesquitas, street art, lojas antigas, arranha-céus de luxo, com piscinas de borda infinita e design moderno. Certas zonas de Kuala Lumpur até parecem saídas de um filme futurista. Há também muitos espaços verdes e bonitos como o enorme jardim botânico Perdana.

Kuala Lumpur: uma eletrizante metrópole de contrastes que convivem em harmonia
créditos: Travellight World e H. Borges

O centro comercial Suria KLCC, que fica na base das Torres Petronas, é um dos mais conhecidos da cidade e alberga lojas de todas as grandes marcas internacionais.

Como tantas cidades do Sudoeste Asiático, Kuala Lumpur realmente ganha vida quando o sol se põe e as temperaturas caem. O clima é quente e húmido por isso é natural que as pessoas prefiram sair à noite.

Os bares ficam abertos praticamente até ao amanhecer e consegue-se encontrar comida literalmente 24 horas por dia, sete dias por semana, e não apenas fast food. Também não são só jovens que vemos a sair à noite, muito pelo contrário. Não é de todo estranho ver famílias inteiras, com avós e crianças muito pequenas a jantar, por exemplo à 01h00 da manhã.

Kuala Lumpur: uma eletrizante metrópole de contrastes que convivem em harmonia
créditos: Travellight World e H. Borges

Acho que o que me faz gostar tanto de Kuala Lumpur são exatamente os seus contrastes. É incrivelmente moderna, mas tem uma forte cultura local e tradicional. É um país muçulmano onde ouvimos, várias vezes por dia a chamada para a oração, mas é uma cidade onde o álcool parece fluir livremente; mulheres com lenços na cabeça caminham lado a lado com mulheres que vestem calções e tops curtos e centros comerciais luxuosos coexistem com mercados noturnos de rua que vendem todo o tipo de bugigangas.

É nisto que reside a magia de Kuala Lumpur - uma das cidades mais eletrizantes que conheço!

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

Artigo originalmente publicado no blogue The Travellight World

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.