Decidi seguir o seu conselho, apesar de ter outras ilhas em vista, e não me arrependi. As ilhas não são propriamente baratas para mochileiros, esta em especial, pois não há hostels, ou pelo menos os suficientes, já que se não se fizer reserva com antecedência corre-se o risco de não ter estadia disponível a preços que não sejam absurdos.

As ilhas Pehentian consistem em duas ilhas: uma maior e uma mais pequena. Eu fiquei na maior, chamada de Perhentian Besar. Existem vários pontos diferentes da ilha onde se pode ficar, portanto não sabia bem o que se passava nesta área onde fiquei alojada até lá chegar. Fiquei em Flora Bay que não é de todo a parte mais turística das ilhas, e ainda bem.

Que paraíso fui encontrar aqui! Para além de ser calmo devido à maior parte dos turistas estrangeiros estarem noutros pontos da ilha, quando a maré está baixa, esta é das praias mais bonitas que já vi, com um azul mágico digno de sonhos. A praia tem muitos corais já mortos, mas que tornam a vista para o mar deslumbrante, uma vez que decoram o tom da água azul cristalino, com pontos mais escuros que os denunciam. Nem se consegue avançar muito longe tal é o número de corais no chão que aleijam a cada passo dado. É das praias mais lindas que vi na ilha.

Perhentian Islands
Flora Bay créditos: While You Stay Home

Explorar a ilha: a caminhar

Para visitar outros recantos da ilha, existem serviços de barco táxi, que não usei. Preferi explorar a ilha à minha maneira aventurando-me sozinha na floresta, percorrendo as trilhas que existem para ligar as várias praias da ilha. Existem dois treks principais que duram cerca de meia hora a serem feitos, cada um. Não os fiz aos dois no mesmo dia.

O primeiro que fiz levou-me a uma praia bem mais turística do que a praia onde estava. Há pessoas de biquini e vários estrangeiros na água. Na área onde estava hospedada, o número máximo de pessoas que vi na praia de biquini foram três. Como a Malásia é um país muçulmano, eles não tiram a roupa para irem à água, nem as mulheres tiram o hijab. Portanto, em Flora Bay, onde fiquei, as pessoas vão à água todas cobertas, vestidas maioritariamente de preto. Crianças, homens, mulheres. Mas esta área tem tão pouca gente que consigo me afastar um pouco da área dos resorts e ter um bom pedaço deste paraíso só para mim.

Assim que chego à praia do outro lado da ilha, fico contente por não estar lá alojada pois a praia onde estou é bem mais encantadora. Tenho um pouco de receio de fazer este trekking sozinha pois não sei que animais posso encontrar. Felizmente, só me cruzei com três répteis. Os primeiros dois já os considerei grandes até ver o terceiro que era enorme. Um varano com bem mais de um metro de comprimento passou bem à minha frente mas estava tão assustado quanto eu, coitado.

No segundo trekking que fiz, cruzei-me com mais um destes bichanos, mas tive uma recompensa que valeu a pena o esforço, uma vez que este trekking é mais difícil que o primeiro pois é a subir. Ao chegar bem perto da praia, ouço um barulho na floresta. Já estava assustada a imaginar que seria outro varano, quando vejo um gibão. Um gibão bem ali perto de mim e a olhar para mim. Fiquei honestamente entusiasmada pois nunca vi um animal destes na floresta, livre e na sua vida. Paro vários minutos para ficar a olhar para o animal, encantada e excitada por o ter visto. Já valeu a pena!

Deste lado da ilha, consegue-se aceder a várias praias que estão ligadas umas às outras. A mais turística é Tuna Bay. Mais uma vez fico feliz por não estar lá hospedada.

Flora Bay
Flora Bay créditos: While You Stay Home

Um paraíso para o snorkeling

Nestas ilhas existem vários pontos de interesse para fazer snorkeling e também para mergulho. São ilhas muito boas para mergulho pois a vida marinha aqui é bem diversa.

Visitei a baía dos tubarões, das tartarugas e o jardim dos peixes, locais que me proporcionaram a melhor experiência de snorkeling de sempre. Já estive em vários pontos na Tailândia a fazer snorkeling, mas este foi, sem dúvida, o melhor. Para além de ter visto um tubarão e uma tartaruga marinha em alto mar, vi ainda dezenas de peixes coloridos e corais ainda com cor em montanhas subaquáticas repletas de vida. Nunca tinha visto tantos corais assim. Foi inesquecível e maravilhoso nadar com estes amigos tão deslumbrantes.

Todas estas experiências vividas fazem com que esta estadia nesta ilha tenha sido maravilhosa e aconselho uma visita. É uma paraíso bem mais desconhecido do que a Tailândia e que vale bem mais a pena.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.