Tenho estado em Ho Chi Minh e ouço falar que Hanói é mais poluída do que a cidade do sul e noto isso de imediato. O céu tem uma cor esbranquiçada e não tenho certeza se é neblina ou poluição. A verdade é que não vi o sol na cidade e este esbranquiçado nunca desapareceu. A poluição aqui foi bem visível, o que não me agradou muito.

Não tenho grandes expectativas pois a cidade não é o meu tipo de destino favorito, no entanto Hanói tem os seus encantos. Passear pelo Old Quarter é encantador tanto como as fachadas das casas velhas que dão charme às ruas. São super fotogénicas e albergam negócios tradicionais. Apreciar o modo de vida vietnamita é das coisas mais interessantes para se fazer por aqui, bem como compras. As ruas parecem organizadas por tipos de negócios, uma vende roupas, outra calçado, outra flores, outra iluminação... Dedicar um tempo a explorar a cidade a pé por estas ruas é um “must”.

Hanói
Fachadas das casas do Old Quarter créditos: While You Stay Home

Outro local a não perder é o lago Hồ Hoàn Kiếm que fervilha de vida. Durante o fim de semana à noite, a zona torna-se pedonal e o aglomerado de pessoas que se junta ao pé do lago é incrível. Vários grupos dançam ao som de tipos de música diferentes. Cada um ocupa um espaço da rua identificável pelo círculo de pessoas que se forma à sua volta para apreciar a sua arte. Desde hip-hop, a danças de salão, esta zona torna-se uma atração com muita distração para apreciar.

Algures no meio da confusão, há um encontro de cães de raça super arranjadinhos, alguns vestidos e com o pêlo de várias cores. Parece um encontro de cães fashion. Tem a sua piada vê-los todos ali. Entretanto, no meio de tudo o que está a acontecer, há vendedores na rua com frutas e outras comidas vietnamitas que se podem experimentar. É emergir na cultura deles por um pouco. Gosto de ficar sentada a admirar tudo o que se está a passar! No entanto durante a semana o cenário já não é o mesmo. Continua a ser uma praça com muita gente mas a animação não é tanta. Ver o lago de noite é encantador pois a iluminação assim o permite. Existe um pagoda no meio que lhe confere o charme todo.

Na realidade existem vários pagodas e templos para ver na cidade, entre eles, o Trấn Quốc pagoda, Templo Quán Thánh, o Pagoda de um Pilar, a cidade Imperial, e o templo da Literatura. A maior parte deles requer bilhete para entrar.

Train street
Train street créditos: While You Stay Home

Outra atração da cidade é a famosa rua apertada por onde passa o comboio a centímetros das casas que acompanham a linha do seu trajeto. É conhecida como a train street e é um sítio peculiar. Embora não tenha assistido ao momento em que o comboio passa, visitar esta rua foi engraçado. O comboio só passa duas vezes por dia, portanto o melhor será visitar a rua nessas alturas.

Fugir da cidade para entrar em contacto com a natureza

Mas o que mais gostei de visitar em Hanói até fica fora da cidade e foi o complexo Cham temple. Existe um autocarro que vai da cidade para lá, que é baratíssimo mas demora cerca de 2 horas para lá chegar. Foi a opção escolhida.

Não há nem mais um turista estrangeiro por aqui. Somente me cruzo com um grupo de vietnamitas que também estavam a visitar o complexo.

A caminho dos Chan temples
A caminho dos Chan temples créditos: While You Stay Home

Para chegar aos Cham temples, primeiro passa-se por várias aldeias com casas de palha e madeira que dão um ar tão pitoresco ao local. Ouvem-se os pássaros, vários animais, a natureza. É um sítio fascinante. Se não fosse este grupo de vietnamitas, tínhamos aquele lugar só para nós. Ficamos lá várias horas já que o complexo é grande e não quisermos usar um dos autocarros elétricos para turistas que lá estavam. Fizemos tudo a pé e ainda bem, pois assim conseguimos saborear tudo o que o espaço verdejante tem para oferecer. Os sons são o que mais me apraz, diversos sons exóticos de pássaros que nos acompanham o caminho todo. Nem os chuviscos me impediram de adorar este lugar. Andar nestes caminhos faz-me imaginar como será viver numa aldeia destas na paz total. É um sítio inspirador.

O lugar mais distante do complexo são três templos de arquitetura Cham. São muito parecidos com os templos que vi no Camboja no complexo de Angkor Wat, mas têm uma coloração alaranjada. Daqui vê-se o lago. Que vista tão linda!

Para além destes templos existe ainda um de arquitetura bem diferente e que parece ser recente. Assemelha-se à arquitetura que vi na Tailândia. É tão dourado!

Chan temples
Chan temples créditos: While You Stay Home

Andamos pelo complexo largas horas, incluindo a hora de almoço. Quer dizer, não era hora de almoço porque eram quase três da tarde, mas não tínhamos almoçado. Estávamos esganadas de fome, mas não parece haver algum sítio onde se possa comer uma refeição quente. Felizmente, umas senhoras simpáticas de um restaurante que estava a fechar serviram-nos uns noodles instantâneos que souberam pela vida. Não me parece um sítio com muito turismo e ainda bem, pois assim podemos apreciar do momento com tudo o que ele tem para nos dar, sem artifícios. Inúmeras borboletas coloridas acompanham-nos enquanto exploramos a área inspiradora.

Voltamos para a estação de autocarro já a noite estava a cair e o autocarro a sair. Pode-se dizer que não o apanhamos por 5 segundos. Felizmente a carreira é regular e o próximo apareceu em cerca de 10 minutos. Foi um dia bem passado a desfrutar o que de melhor o Vietname tem para oferecer: a natureza.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.