Depois de alguns dias e bons passeios de bicicleta pela apreciada Varsóvia, uma amiga sofreu uma ligeira fratura. Na cabeça. De ligeira passou a coisa grave porque no hospital onde foi parar ninguém a entendia. Resultado: a rapariga portuguesa só precisava de uma extração de pontos na zona da fratura, na cabeça. Contudo fizeram-lhe todos os exames possíveis e nenhum era necessário. Tudo porque não conseguiam comunicar. Na Polónia só mesmo os mais jovens estão a habituar-se ao Inglês, de resto é uma limitação. Mas como em muitos outros países.

Ora a rapariga, apenas com uma necessidade básica de momento, inventou ali uma forma de falar através de instrumentos que encontrou no bloco e foi tentando explicar, afinal, o que estava a necessitar. Será que resultaria numa lobotomia? Evite hospitais ali, sobretudo nesta fase COVID-19. Se não falam bem Inglês, procure outro. E garanta cada vez mais que tem seguros para tudo nas suas viagens. Caso lhe aconteça como à minha viajante que nunca mais se vai esquecer da sua fratura, então diga uma palavra-chave: “Portugal”! Ela fez isso e as expressões fechadas dos médicos e enfermeiros logo mudaram. A hospitalidade aumentou radicalmente. Afinal, somos a segunda casa de tantos deles, de tantos.

Ah, e a rapariga saiu bem do hospital e retomou a sua tour pela renovada Polónia. Rejeitou as bicicletas para evitar novas quedas. Reserve a sua aventura, a Polónia é reconhecida pelos seus marcos históricos e por ser um destino seguro e muitíssimo económico (sobretudo na estadia, na alimentação e nas tours). Mas, inclua um manual básico, é sempre bom aprender línguas novas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.