Bruxelas é considerada a capital da Europa, onde se encontram as principais instituições europeias, como o Parlamento Europeu, a Comissão Europeia e o Conselho da Europa.

Mas para além de ser o centro das decisões europeias, é também uma porta de entrada para outras cidades. A uma ou duas horas (de carro ou comboio) podemos facilmente visitar Amesterdão, Roterdão, Haia, Paris, Londres, entre outras.

E, para mim, esta é uma das grandes vantagens de viver nesta cidade. E desde que vivo aqui, já tive a oportunidade de conhecer sítios que de outra forma não seriam tão acessíveis. E isto também é válido para quem vem passar, por exemplo, quatro dias a Bruxelas. Numa viagem a esta cidade, pode sair daqui com visitas a outras capitais europeias.

Onde ir

A Grand Place é um local icónico da cidade e merece uma visita. Além de ser um espaço muito bonito, é também onde decorrem eventos, em várias alturas do ano. Tem vários espaços comerciais, como restaurantes e lojas, principalmente lojas de chocolates tipicamente belgas e souvenirs. Também é um local para uma saída à noite, pois há vários bares e esplanadas.

grand place
créditos: Pixabay

E nesta altura do Natal, o mercado que se prolonga por toda a praça é imperdível, assim como as diversas atrações.

Se gosta de visitar os locais mais icónicas, visite o Atomium, a Mini Europe (que fica mesmo ao lado), o Parlamentarium (para as crianças é uma experiência educativa interessante), ou o Train World, o museu dos comboios do passado, presente e futuro. Fica a poucos minutos da estação central de Bruxelas.

Para os apreciadores de arte, Bozar e Kanal - Centre Pompidou são boas opções.

Em Bruxelas há também grandes parques, onde os locais costumam passear, andar de bicicleta, praticar exercício físico... Fora do centro da cidade, recomendo os parques de Woluwe e Tervuren.

Uma vez em Bruxelas, é impossível não visitar três locais: Bruges, Antuérpia e Gent. Cada uma delas tem a sua beleza própria, museus e parte histórica. Pode apanhar o comboio na Gare Central, em Bruxelas, e as viagens, dependendo do destino, demoram entre 30 minutos a 1 hora.

Bruges
Bruges créditos: Pixabay

Das especialidades locais aos sabores de Portugal

A Place Flagé, local onde existe uma comunidade portuguesa grande, tem vários estabelecimentos portugueses. A não perder a "Pastelaria Garcia", com todas as especialidades portuguesas, só para matar saudades.

A praça também é palco de feiras ao sábado e domingo, de produtos alimentares, e local onde pode almoçar por um preço bastante acessível. Em redor, há também restaurantes portugueses, como o "Caramulo".

Para os mais gulosos, não perder os pastéis de nata do "Forcado", em Saint Gilles. Um negócio familiar, onde pai e filho apresentaram aos belgas, na perfeição, esta iguaria portuguesa tão famosa. O ambiente é muito acolhedor, ideal para um lanche em pleno inverno.

Mas se quer provar as iguarias locais, recomenda-se o "Chez Léon", o mais tradicional para comer mexilhões (as famosas moules), perto da Grand Place.

O "Cirio" é outro clássico da cidade de Bruxelas para beber uma boa cerveja belga e comer um croque monsieur, além de outros petiscos. Fica ao lado da Bolsa de Bruxelas.

O "Fin de Siècle" é um restaurante belga com influências italianas e asiáticas, com um décor muito engraçado, e com uma grande coleção de cervejas. Fica também perto da Bolsa.

Uma dica: Opte pelas gauffres das carrinhas amarelas. São as melhores e custam dois euros.

A TAP oferece voos diários para Bruxelas. Fique atento às promoções e desfrute de uma deliciosa refeição a bordo enquanto planeia o roteiro da estadia.

Bruxelas desde 33€