A estrada de terra na costa oeste de Madagáscar, que liga Morondava e Belo Tsiribihina, é emoldurada por dezenas de baobás raros e antigos, criando um cenário único que atrai visitantes de todo o mundo. Muitas das árvores têm mais de 800 anos de idade e troncos com mais de 50 metros de altura e faziam parte de uma rica floresta de árvores e outras plantas, mas o aumento da população na área levou ao desmatamento em massa, deixando os baobás restantes em relativo isolamento.

Quando os marinheiros árabes visitaram a zona pela primeira vez, há mais de 1000 anos, disseram que o diabo arrancou as árvores do chão e as colocou de cabeça para baixo, uma vez que as suas copas são parecidas com raízes.

As árvores, que também podem ser chamadas de embondeiros, têm vários usos práticos, com folhas que são usadas em pratos locais e os troncos que fornecem água quando outras fontes são escassas. Os frutos da árvore também são um ingrediente crucial para algumas bebidas de verão populares e numa espécie de pudim senegalês chamado Ngalakh.

A cidade mais próxima é Morondava, um conhecido resort de férias à beira-mar, que possui uma rica herança cultural.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.