A viagem ocorre em maio do próximo ano e esgotou em poucos dias. Os 18 turistas e cerca de sete tripulantes vão embarcar num navio de 1918 e serão o primeiro grupo de excursão pública a visitar Rockall, um pequeno ilhéu rochoso granítico a oeste das Ilhas Hébridas da Escócia. Para organizar a viagem, a Kraken Travel uniu-se à Lupin Travel, uma empresa de turismo que leva os viajantes a lugares "remotos e difíceis de visitar", incluindo Coreia do Norte, Chernobyl e Irão.

Assim que os visitantes desembarcarem, vão passar entre 15 a 20 minutos no ilhéu.

A viagem partirá de Oban, a 2 de maio de 2020, com uma paragem em St. Kilda e deverá durar sete dias, embora a duração possa ser alterada em função do estado do tempo. A viagem já está esgotada, mas a Lupin Travel está planear uma segunda excursão por cerca de 2 mil euros, em maio e junho de 2022.

Embora o Reino Unido tenha reivindicado a rocha - e o mar territorial circundante - desde 1955, a Irlanda, a Islândia e a Dinamarca não reconhecem oficialmente a sua soberania. Em maio, o governo escocês alertou que medidas de segurança seriam tomadas contra qualquer embarcação irlandesa vista a 12 milhas náuticas do ilhéu, medida contestada pelos pescadores irlandeses, que trabalham na zona há vários anos. O primeiro ministro irlandês, Leo Varadkar, diz que as 12 milhas náuticas ao redor de Rockall fazem parte da União Europeia e “devem ser partilhadas” por todos os membros.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.