Devido ao furacão Leslie, o voo foi desviado tendo aterrado no aeroporto de Málaga depois da meia-noite.  O escritório em que eles se reuniram e deitaram, era um dos poucos espaços que não estavam trancados. Os membros da tripulação foram descobertos por volta das 6 da manhã por membros de outras tripulações que conseguiram outra sala para eles.

Os seis tripulantes faziam parte de um grupo de oito pilotos e 16 tripulantes de cabine com base em Portugal, e afirmam ter sido forçados a passar várias horas no pequeno escritório, que tinha apenas oito cadeiras. Eles também não tinham acesso a comida ou bebida pois não havia alojamento em hotel.

Fernando Gandra, diretor do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil,  disse ao Daily Mail que a Ryanair foi informada sobre o sucedido por um dos capitães, mas não foram encontradas acomodações para a tripulação. O gerente de serviço da Lesma Handling Group, a empresa que trata das operações em terra da Ryanair, tentou encontrar um hotel, mas não teve sucesso.

"No final, foram informados de que era impossível encontrar qualquer hotel. Sexta-feira foi feriado em Espanha e o gerente disse que todos os hotéis estavam cheios. Finalmente, às 11h30, as tripulações voaram de volta ao Porto. Sem ter descanso adequado, sem dormir nada", afirmou Fernando Gandra que acrescentou: "Talvez todos os hotéis em redor do aeroporto de Málaga e da cidade estivessem cheios, mas com certeza teria sido possível alojar estas equipas em diferentes hotéis, mesmo que longe do aeroporto". Além disso, a tripulação terá perguntado ao capitão operacional se poderiam usar o bar do avião para comer e beber alguma coisa, o capitão  teria ligado para a sala de operações em Dublin para pedir autorização, que lhe foi negada.

O chefe de operações da Ryanair, Peter Bellew, foi ao Twitter para explicar que a companhia aérea não conseguiu encontrar acomodação em Málaga para a tripulação.

Ryanair disse em comunicado: "Esta imagem é claramente encenada e a tripulação não dormia no chão. Devido às tempestades no Porto (13 de Outubro), vários voos foram desviados para Málaga e, como se tratava de um feriado nacional espanhol, os hotéis estavam cheios. A tripulação passou um curto período de tempo na sala, antes de ser transferida para uma sala VIP e regressou ao Porto no dia seguinte (nenhum dos voos operados pela tripulação)."

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.