Ainda há alguns grandes obstáculos que os investigadores precisam superar antes que um elevador possa iniciar as execuções de teste. De acordo com Smithsonian, não há cabo no mundo que seja forte o suficiente para suportar as forças da gravidade e os ventos fortes da atmosfera terrestre. Além disso, ninguém sabe como o movimento por cabo funcionaria em gravidade zero, mas será possível obter mais informações sobre isso no final deste mês.

O primeiro teste implicará o lançamento de um foguete da ilha japonesa de Tanegashima. Uma vez no espaço, uma caixa de elevador em miniatura irá mover-se ao longo de um cabo entre dois satélites. "Será a primeira experiência do mundo a testar o movimento de elevadores no espaço", disse um porta-voz da universidade à AFP.

A ideia de um elevador para o espaço foi proposta, pela primeira vez, em 1895, por um cientista russo chamado Konstantin Tsiolkovsky. Mas só na década de 1960, quando o engenheiro Yuri Artsutanov começou a investigar os desafios que a proposta envolveria, que se começou a levar essa ideia a sério.

Apesar do facto de os testes ainda não terem começado, uma empresa japonesa já emitiu uma proposta para o elevador espacial. No seu conceito, a Obayashi Corporation prevê quase 100 mil quilómetros de cabo que ligariam uma estação flutuante no mar a um satélite a orbitar o planeta. A viagem levaria aproximadamente oito dias para ser concluída via teleférico. Há um cronograma "realista" de conclusão até 2050, segundo a empresa.

Se o elevador espacial se tornasse realidade, provavelmente seria fixado em algum local ao longo da linha do equador, onde terremotos e tornados são mais improváveis.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.