Escoltado por rebocadores, o navio entrou no porto norueguês de Molde na parte da tarde de domingo. Antes, quase um terço dos passageiros havia sido retirado por helicópteros como parte de uma operação de resgate dramática em função do mau tempo.

As equipas de emergência suspenderam as operações de resgate por helicóptero, que começaram no sábado à tarde e permitiram transportar para terra firme 460 das 1.373 pessoas que estavam na embarcação. Dezessete delas foram hospitalizadas.

O "Viking Sky" fez um apelo de socorro no sábado à tarde, quando um motor sofreu um problema. No meio de uma tempestade, o navio avançava sem rumo numa área com muitas rochas, na região de Møre og Romsdal (oeste da Noruega).

Viking Sky
Viking Sky no meio da tempestade créditos: AFP

Depois de conseguir acionar novamente os motores, a embarcação estabilizou a sua posição ao lançar a âncora a dois quilómetros do litoral e as autoridades iniciaram uma grande operação de resgate com seis helicópteros.

As imagens do interior do "Viking Sky" mostram o momento em que várias peças caíram do teto no navio, enquanto os passageiros tentavam manter a calma.

Outros vídeos mostram os passageiros aguardando pelo momento do resgate, com coletes salva-vidas.

Depois que a tripulação do navio conseguiu acionar três dos quatro motores, dois rebocadores aproximaram-se para ajudar na viagem até o porto de Molde, a 80 km de distância.

As operações de resgate foram prejudicadas pelo mau tempo e a idade avançada de muitos passageiros, que segundo a polícia eram na maioria americanos e britânicos.

Os passageiros retirados do navio foram levados para hotéis.

Um deles, Rodney Horgan, afirmou que um grande volume de água entrou no cruzeiro quando uma janela partiu.

"Entre 20 e 30 pessoas foram arrastadas diante dos meus olhos", contou ao canal NRK.

Entre as pessoas hospitalizadas, pelo menos três idosas sofreram fraturas graves.

"Toda a gente permaneceu calma. Não vi nenhum tipo de histeria. Foi bastante dramático quando um dos vidros partiu e a água entrou", afirmou Ruth, outra passageira, a NRK. "O barco foi atingido por ondas de todos os lados".

De acordo com outro passageiro, o navio virava quase 45 graus para cada lado.

O "Viking Sky", um navio moderno, de 2017, é operado pela empresa norueguesa Viking Ocean Cruises e tem capacidade para 930 passageiros.

No momento do incidente navegava de Tromsø (norte) para Stavanger (sudoeste).

A navegação é notoriamente difícil nesta região, conhecida como Hustadvika. As autoridades estudam a construção de um túnel para barcos numa montanha do litoral para evitar a navegação em alto mar.

Mas o projeto, destinado sobretudo a barcos menores, está paralisado por falta de financiamento.

Até mesmo os vikings já evitavam em sua época navegar por estas águas e preferiam transportar os barcos por via terrestre de um fiorde a outro.

No sábado, na mesma região os socorristas ajudaram um navio mercante que também sofreu uma avaria nos motores.

Fonte: AFP

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.