O superintendente distrital da polícia da ilha de Koh Chang, no sul da Tailândia, o coronel Kitti Maleehuan, disse à agência de notícias espanhola EFE que as partes chegaram a acordo para retirar a queixa apresentada pelo hotel Sea View Resort, localizado na popular ilha turística.

Ao abrigo do acordo, o norte-americano Wesley Barnes, residente na Tailândia, que passou duas noites na prisão até ao pagamento de uma caução, concordou em realizar uma série de ações, até 30 de outubro, incluindo pedir desculpas ao hotel, às autoridades e aos meios de comunicação social que noticiaram o caso.

Além disso, terá ainda de fornecer explicações à Embaixada dos Estados Unidos em Banguecoque e pedir ao portal turístico TripAdvisor, onde publicou os comentários negativos, que retire as críticas ao hotel.

Barnes ficou alojado no hotel Sea View Resort no final de junho, tendo escrito comentários negativos no portal TripAdvisor, criticando os empregados do estabelecimento.

Depois de se ter recusado a retirar os comentários, Barnes foi acusado de difamação e detido em 12 de setembro.

O norte-americano ficou detido durante dois dias, até ter pago uma caução de 100.000 bat (2.700 euros), tendo ficado ainda com a obrigação de apresentação perante um juiz para responder à acusação de difamação, punida com pena de até dois anos de prisão.

O diferendo surgiu quando os empregados do hotel informaram o hóspede que tinha de pagar uma taxa se quisesse consumir bebidas compradas fora do estabelecimento, tendo este acusado o gerente do hotel de ser "extremamente mal educado com os clientes" e de tratar os trabalhadores "como escravos".

As leis antidifamação da Tailândia têm sido denunciadas por organizações de defesa dos direitos humanos e da liberdade de imprensa, que consideram que a legislação é usada para limitar a liberdade de expressão.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.