Devido às temperaturas mais amena, que os amantes do festival atribuem às mudança climáticas, os organizadores do festival viram-se obrigados a ir buscar neve em outras localidades.

"Esta falta de neve é inédita", afirma Yumato Sato, um dos responsáveis pela organização evento.

Normalmente, são usadas 30.000 toneladas de neve para as esculturas, que vão desde a representação de personagens animados até corridas de cavalos. Algumas têm até 15 metros de altura.

"Tivemos de trazer neve de lugares aonde nunca tínhamos ido antes", como Niseko, uma localidade a cerca de 60 quilómetros de Sapporo, famosa estação de sko, acrescentou Sato.

A isto, acrescenta-se o problema de que, para as esculturas, é necessário utilizar uma neve bem limpa.

"A neve não deve ter impurezas, porque isso pode fazer com que as esculturas quebrem", explica.

A falta de nevadas este ano no Japão fez com que muitas estâncias de ski ficassem encerradas. De acordo com meios da imprensa local, pelo menos 25% das 400 estações analisadas viram-se forçadas a suspenderem as suas operações.

As nevadas em Sapporo caíram pela metade da média habitual, segundo o observatório local da Agência Meteorológica do Japão.

As altas temperaturas derreteram a neve em meados de dezembro. Os termómetros devem continuar a marcar níveis superiores à média.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.