Favorecido pelos céus imaculados do norte do Chile e pela proliferação de observatórios na capital mundial da astronomia, esse eclipse total tornou-se um fenómeno de massa, um século após outro fenómeno semelhante, que ocorreu em Sobral, no Brasil, permitido a um grupo de cientistas verificar pela primeira vez a teoria da relatividade de Albert Einstein e consolidar uma das maiores revoluções na história da ciência.

Embora o eclipse desta terça-feira, iniciado no Pacífico, possa ser observado em boa parte do Chile, a "zona zero" está localizada em uma faixa de 150 kms nas regiões de Coquimbo e Atacama, onde o dia luminoso dará lugar a uma noite curta de cerca de 2 minutos e 36 segundos a partir das 16h38 local (17H38 de Brasília).

Eclipse total do Sol atrai milhares de turistas ao Chile
Entrada para o campo de observação astronómica no Atacama créditos: AFP
Eclipse total do Sol atrai milhares de turistas ao Chile
Astrónomos fazem os preparativos para o eclipse créditos: AFP

As autoridades esperam mais de 300.000 pessoas.

Acampamentos com barracas, carrinhas de comida, ligação à internet e casas de banho químicas foram instaladas em uma dúzia de pequenas cidades que estão animadas com as boas vendas num único dia.

Eclipse total do Sol atrai milhares de turistas ao Chile
Turistas chegam ao campo astronómico do Atacama créditos: AFP

Quem não pôde viajar para o norte, onde estão os céus mais límpidos do país, também poderá ver o eclipse. Em Santiago, a capital, 92% do sol vai ficar coberto.

O próximo eclipse total do sol vai ocorrer a 14 de dezembro de 2020 no sul do país.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.