Uma equipa de seis pessoas da Trees for Life isolou-se voluntariamente na propriedade de reabilitação Dundreggan, uma emblemática instituição de caridade em Glenmoriston, perto de Loch Ness nas Highlands (Terras Altas, Escócia) desde 23 de março, para salvar mais de 100.000 árvores jovens nativas de serem perdidas devido à crise do coronavírus e confinamento.

As árvores - incluindo pinheiro silvestre, zimbro, aveleira, azevinho e carvalho, bem como espécies raras de montanhas - foram cultivadas cuidadosamente a partir de sementes no viveiro especializado de Dundreggan e devem ser plantadas nas colinas esta primavera.

Dezenas de voluntários ajudam a propagar e cultivar mais de 60.000 árvores por ano no viveiro, a partir de sementes reunidas em toda a propriedade. Estas árvores são plantadas em Dundreggan e noutros locais nas montanhas, para restaurar a antiga Floresta Caledoniana da Escócia e a sua vida selvagem única.

“Estávamos todos prontos para outra temporada movimentada de preparação de milhares de árvores nativas jovens para o plantio nas colinas pelos nossos voluntários, quando a crise do coronavírus forçou o seu adiamento esta primavera - o que significa que dezenas de milhares de árvores jovens não deixaram o nosso viveiro conforme planeado ”, disse Doug Gilbert, da Trees for Life, em Dundreggan.

Mas a natureza não está confinada e todas estas árvores que já têm folhas precisam de alguém que cuide delas, especialmente durante este tempo seco que estamos a enfrentar. Sem uma rega regular, todas elas morreriam.

Por isso, Doug, juntamente com os colegas Abbey Goff, Emma Beckinsale, Patrick Fenner e os estagiários Catriona Bullivant e Louise Cameron - optou por se isolar voluntariamente em Dundreggan, e não em suas casas quando o confinamento nacional foi anunciado.

Doug só sai do seu espaço para assuntos urgentes e a comida é-lhes entregue diretamente no local por supermercados. O café local começou a fazer take away, o que para estes voluntários em isolamento é uma espécie de "banquete" que encomendam uma vez por outra.

A Trees for Life planeia abrir o primeiro centro de reflorestação do mundo em Dundreggan em 2022. Espera-se que receba mais de 50.000 visitantes anualmente - permitindo que as pessoas explorem as paisagens selvagens, descubram a cultura gaélica e aprendam sobre a vida selvagem única da região.

Além de ser um local de restauração florestal de importância internacional, Dundreggan é um centro de biodiversidade que reúne mais de 4.000 espécies de plantas e animais. As descobertas incluem várias espécies nunca antes registadas no Reino Unido ou anteriormente temidas pela extinção na Escócia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.