Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), partilhados pelo ministério do Turismo, as regiões Norte, Sul, Nordeste e Sudeste registaram "números bastante positivos na ocupação hoteleira", para o período festivo em causa.

"Em Salvador, por exemplo, os hotéis comemoram a alta procura e esperam que a ocupação no 'réveillon' chegue aos 100%. (...) Em Pernambuco, Recife e Porto de Galinhas são os destaques. Para o final do ano, a ocupação deve-se aproximar dos 100% nas duas localidades", informou a ABIH.

Já na capital carioca, no Rio de Janeiro, que tem uma das principais festas de final de ano do país, a média de ocupação está em 87%. As localidades mais procuradas são Ipanema, Copacabana, Barra da Tijuca, Leblon, Flamengo e Botafogo.

"Os números são extremamente positivos e mostram como grandes eventos como o 'réveillon' podem contribuir para a economia e geração de rendimentos em todas as regiões do nosso país. O ano de 2019 foi extremamente importante para o turismo brasileiro, com conquistas históricas, e para o próximo ano trabalharemos para avançar ainda mais", afirmou o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

As autoridades do Rio de Janeiro, Brasil, mobilizaram mais de 2.000 polícias para garantir a segurança das celebrações do Ano Novo na famosa praia de Copacabana, onde três milhões de pessoas são esperadas na noite de terça-feira.

No total, cerca de 15.000 agentes policiais serão destacados em todo o estado do Rio de Janeiro, informou a polícia militar.

A prefeitura do Rio de Janeiro anunciou a instalação de sete telas gigantes ao longo da praia para que o público possa assistir aos concertos, que ocorrerão num grande palco em frente ao famoso hotel Copacabana Palace.

Em relação ao fogo de artifício, 16,9 toneladas de explosivos serão lançados a partir de 10 barcaças no mar, a várias dezenas de metros do areal, para um espetáculo de 14 minutos.

Já em São Paulo, naquela que é a cidade mais populosa do Brasil, o palco da festa será a tradicional Avenida Paulista, onde são esperadas cerca de dois milhões de pessoas. O impacto financeiro esperado está na ordem dos 600 milhões de reais (133 milhões de euros).

Em Salvador, capital do estado da Bahia, a prefeitura espera uma movimentação de cerca de 407 milhões de reais (90 milhões de euros) na economia da cidade. São esperados quase 500 mil turistas. Entre os estrangeiros, destacam-se franceses e norte-americanos.

Já em Fortaleza, capital cearense, no nordeste do país, 650 mil turistas devem brindar à chegada de 2020.

Segundo a secretaria de turismo daquela região, a taxa de ocupação hoteleira é de 96% com a previsão de uma movimentação económica de 1,6 mil milhões de reais (350 milhões de euros).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.