Quanto mais viajo, mais devagar quero sentir os lugares, mais tempo sinto necessitar em cada aldeia, vila ou cidade. Mais disponibilidade preciso para fotografar no terreno e, em simultâneo, captar a essência dos locais, gentes, culturas e paisagens. Precisava, numa palavra, de tempo. Decidi, por isso, partir de comboio De Portugal a Macau.

Razões para partir nesta grande viagem?

Tinha inúmeras outras ideias, algumas delas que tenho ainda em mente fazer – se mais tarde tiver essa oportunidade. Por exemplo, percorrer todos os países da América do Sul. Mas tenho outros três ou quatro projectos guardados para os próximos anos. Uma outra opção poderia ter sido uma volta ao mundo, mas preferi um percurso contínuo, por terra (sempre que possível). E, como disse acima, não queria apressar-me nesta aventura.

Se dissesse que iria viajar assim, à volta do mundo, talvez fosse necessário estabelecer um horizonte temporal e, até, um maior orçamento. Seria necessário viajar demasiado de avião, longas escalas, horas em filas de aeroportos. No fundo, seria um somatório de várias viagens numa só. Procurava algo diferente, mais exigente até. Procurava sair da zona de conforto. Queria continuidade e contraste. Queria transição e diversidade. Queria alguma dose de incerteza e quebrar estereótipos. Queria visitar países para onde, talvez, fosse difícil viajar.

De comboio, porquê?

Durante mais de uma década vivi no país que abriu portas à Revolução Industrial – Inglaterra. Passei centenas de horas a viajar de comboio no Reino Unido, a ler e a ouvir a relação de amor-ódio que os ingleses têm por este meio de transporte. Comecei, também eu, a apreciar todos os benefícios do comboio como forma de me levar De Portugal a Macau.

Se viajasse de forma privada, ou seja, de carro ou caravana (algo que ainda ponderei), iria ganhar maior autonomia – talvez até fosse mais económico. No entanto, iria perder outros aspectos que, na minha opinião, são mais importantes para um projecto deste género.

Por exemplo, não iria conseguir ter tempo para observar de perto as gentes locais e os seus costumes e de, com eles, partilhar histórias. Iria perder, creio, autenticidade. Ao viajar de comboio (sempre que possível), posso também estar mais relaxado, dormir, conversar, ler ou trabalhar durante longas distâncias. De carro, tudo isto seria impossível. E não existe, do meu ponto de vista, transporte tão romântico como o comboio.

Porquê viajar entre Portugal e Macau?

Dizem-me que a viagem mais longa de comboio é entre Portugal e o Vietname e que poderia fazer esse percurso. Todavia, nesta aventura não procuro ser o primeiro, o segundo ou o terceiro a fazer a viagem X ou Y. Não pretendo ver 10 ou 20 países em 10 dias ou algo dentro desses parâmetros de títulos.

Em relação ao percurso até Macau, também acontece porque 2019 é o ano em que se assinalam 20 anos da transição da Região Administrativa Especial de Macau para a China. A viagem coincide assim com esta importante efeméride. Além disso, Macau sempre me despertou um enorme interesse – tanto que ponderei nos últimos anos lá viver.

Uma viagem de longa duração – como a que planeei entre Portugal e Macau – é para mim mais satisfatória, pois uma típica volta ao mundo quase que nos obriga a ver mais e mais. Numa viagem longa, pode-se estar mais relaxado. Além disso, uma volta ao mundo é menos flexível do que se partir com uma ideia de viajar pela América do Sul durante uns meses – sem a pressão de chegar onde quer que seja.

O que quero dizer é que é mais importante, para mim, estar parado numa esplanada a conversar com alguém que conheci minutos antes do que sair a correr para ver mais um museu, mais uma muralha ou outro ponto turístico. É uma viagem para absorver a cultura, se conseguir, e não “picar pontos”. Claro que quero ver, por exemplo, San Sebastián, regressar a Belgrado, Pamukkale e tantos outros lugares na Europa e Ásia.

Mas esta não é uma viagem apenas sobre Macau – Macau é a linha que liga todo o projecto, mas esta é uma aventura, que espero seja, de descoberta e enriquecimento pessoal.

Como posso seguir a viagem?

Se quiser saber mais sobre a rota, quantos meses vai durar e quanto custa uma aventura deste tipo, pode seguir a minha viagem De Portugal a Macau em www.lugaresincertos.com e também no Facebook e Instagram. Fico à sua espera.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.