O sonho era antigo: desde 2008 que havia um projeto que prometia mudar a identidade da cidade de Bordéus. Foi a 1 de junho que abriu portas. E é tão grandioso que é difícil não ficar impressionado com aquele que pretende ser a meca dos amantes de vinho.

Vamos a números. Em termos arquitetónicos, "La Cité du Vin" tem 13.350 m2, divididos em 10 andares e 55 metros de altura, um edifício concebido de uma forma eficiente em termos energéticos para reduzir a necessidade de refrigeração. O museu, cuja arquitetura evoca o Museu Guggenheim de Frank Gehry em Bilbao, fica nas margens do rio Garonne e no miradouro pode ter uma visão da cidade de Bordéus e arredores.

La cité du vin
créditos: La Cité du Vin/Anaka

Em termos culturais pode contar com a possibilidade de fazer a visita permanente que se desenvolve ao longo de 3.000 m2, dividida em 19 módulos temáticos e explicada em oito idiomas, que conta a história geral do vinho até à tradição vinícola da região.

Mas há muito mais por explorar na cidade do vinho, com exposições temporárias, espetáculos exibidos em ecrãs de 360º, um bar de tapas ou uma biblioteca com mais de 9.000 garrafas de vinho, além de wokshops. E até há um espaço e tours dedicados às crianças, sendo um espaço family friendly.

La cité du vin
créditos: XTU/ANAKA/La Cité du Vin

O objetivo deste espaço é, além de dignificar o vinho francês, dar a conhecer vinhos de outros países. Para já, os responsáveis esperam atrair mais de 450.000 visitantes por ano.

E qual é o preço dos bilhetes? Os adultos pagam 20 euros e as crianças oito euros.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.