Em conferência de imprensa para a apresentação do projeto, o presidente da Câmara Municipal, António Dias Rocha, explicou que esta remodelação visa melhorar o espaço, dar-lhe uma nova imagem e apostar mais na componente dos conteúdos informativos, interpretativos e interativos.

"Considerámos que, passado este tempo, tínhamos condições para melhorar e para nos tornarmos ainda mais atrativos, de forma a continuarmos a ver aumentar o número de visitantes", afirmou.

António Dias Rocha sublinhou que a intervenção permitirá incluir novos conteúdos, de modo a dar "mais informação aos visitantes, designadamente no que concerne à comunidade judaica de Belmonte, ao período em que os seus elementos tiveram de viver em segredo e à fase do 'resgate' social".

Depois de renovado, o Museu Judaico permitirá que o visitante faça um percurso em que fica a conhecer as diferentes fases da história do judaísmo (religião e fé, vivência em segredo e resgate), tendo também como base as memórias, os saberes e vivências da comunidade judaica de Belmonte, conforme explicaram os responsáveis pela conceção deste projeto, Paulo Monteiro e Henrique Marques.

"Museus judaicos há vários pelo mundo, mas este será sempre diferente porque é o museu de uma comunidade viva", destacou Paulo Monteiro, frisando ainda que os "princípios e preceitos do judaísmo serão sempre respeitados do princípio ao fim, e com o máximo rigor".

De acordo com o que referiram, a intervenção também permitirá criar um museu mais adaptado às exigências museológicas atuais, passando a interligar as peças de exposição com as novas tecnologias, como os ecrãs interativos, e com os filmes e documentários que serão apresentados nesta viagem.

A obra arrancará em outubro e deverá ficar concluída até dia 26 de abril, quando se assinala o dia do concelho. Durante esse período, a autarquia organizará uma exposição temporária num outro espaço para onde serão transferidas as peças que estão presentes no Museu Judaico.

"Não queremos defraudar as expectativas de todos quantos nos visitarão nesse período, por isso mesmo, a nossa intenção é colocarmos estas peças num outro espaço, criando assim uma exposição temporária que até ajudará a aguçar expectativa relativamente ao nosso museu renovado", referiu António Dias Rocha.

Segundo o autarca, o projeto foi já apresentado à Rede de Judiarias de Portugal (RJP) e será apoiado pelo "EEA Grants", mecanismo financeiro que atribuiu à RJP uma dotação financeira de 4,5 milhões de euros, para levar a cabo várias iniciativas e intervenções.

O Museu Judaico de Belmonte é anualmente visitado por milhares de pessoas de várias nacionalidades. Em 2015 passaram por aquele espaço 20.560 visitantes. Até ao final de agosto deste ano, o número de visitas foi de 15.583, o que representa um crescimento de 28% relativamente ao período homólogo do ano passado.

Veja também: Guia de Viagem - Belmonte, a terra de Pedro Álvares Cabral

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.