O último encontro da seleção nacional na fase de grupos irá realizar-se em Saransk, no dia 25 de Junho às 19:00 (hora de Lisboa), onde Portugal irá defrontar o Irão, treinado pelo português Carlos Queirós.

Saransk é a capital da República da Mordóvia e foi fundada em 1641 como uma fortaleza na periferia do reino russo, integrando uma extensa linha de defesa fortificada. No entanto, no início do século XVIII praticamente perdeu o seu significado militar e foi-se tornando gradualmente num centro de artesanato e comércio devido à sua localização geográfica vantajosa, no cruzamento de ligações entre importantes cidades russas. É a cidade mais pequena de todas as que vão acolher jogos do Mundial de Futebol.

Mordovia Arena, Saransk
Mordovia Arena, Saransk | CC BY-SA 4.0 créditos: Dreamstime

Mordóvia Arena: O estádio de futebol que irá receber a seleção portuguesa começou a ser construído em 2015, precisamente para acolher os jogos do Mundial de Futebol. Foi desenhado pelo arquiteto alemão Tim Hupe e destaca-se pelas suas paredes e cobertura com painéis metálicos de cores solares. Tem capacidade para mais de 44 mil espectadores, mas após o evento desportivo parte da estrutura será desmantelada para reduzir a capacidade para 28 mil. Passará depois a ser a casa do Futebol Clube Mordóvia Saransk, uma equipa da liga de futebol russa.

Parque Pushkin: Esta enorme área verde e de lazer no coração de Saransk foi apelidada em homenagem ao grande poeta Russo Alexander Pushkin. Divide-se em três partes: uma zona de descanso, uma zona estilo parque de diversões  e uma zona de eventos – e é um local de eleição para as famílias durante os fins de semana.

Igreja de São João Evangelista: É um dos edifícios mais antigos da cidade construído em 1693, 50 anos após a fundação da cidade, em estilo barroco moscovita.Durante muito tempo foi a única igreja Ortodoxa Russa ativa na cidade.

Catedral St. Theodor Ushakov, Saransk
Catedral St. Theodor Ushakov, Saransk © Dmitry Erokhin | Dreamstime.com créditos: Dreamstime

Catedral do Santo e Justo Guerreiro Fyodor Ushakov: Construída em 2006 apresenta um estilo imperial de onde se destacam uma cúpula bizantina e quatro torres sineiras. Está consagrada ao Sagrado Guerreiro Fyodor Ushakov, considerado padroeiro de Saransk e canonizado pela Igreja Ortodoxa Russa no ano 2000. Ushakov foi um dos mais ilustres comandantes da marinha russa do século XVIII, tendo libertado as ilhas jónicas (Grécia) do domínio francês, o que permitiu que fosse estabelecida a primeira forma de auto-governação grega desde a queda do império de Trebizonda (Turquia 1204-1461).  É o maior templo Ortodoxo Russo de toda a cidade.

Museus: O Museu Etnográfico de Mordóvia, inaugurado em 1999, é uma excelente forma de conhecer melhor a história e a cultura do povo Mordoviano, nomeadamente as tradições das etnias da região – os Erzya e os Mokshas, que em muitas aldeias nos arredores de Saransk ainda vestem os trajes tradicionais e mantêm os seus rituais, muitos dos quais pagãos. O Museu Memorial das Forças Armadas e Militares de 1941 – 1945 é dedicado à vitória dos Aliados na Segunda Guerra Mundial e para além das exposições dentro do museu, há uma outra a céu aberto com equipamentos militares como tanques, veículos de combate de infantaria, armas e muito mais.

Praças: Na enorme Praça Soviética encontram-se o edifício governativo da Mordóvia e a Casa da República, um edifício monumental que é a residência do chefe da Mordóvia. Na Praça da Vitória há um memorial aos soldados da região mortos durante a Segunda Guerra Mundial, que inclui um museu, uma chama eterna, uma capela e um obelisco, em homenagem aos prisioneiros de guerra russos que escaparam de um campo de concentração alemão. Na Praça Millennium a grande atração é a fonte com 60 metros de diâmetro em forma de estrela, que nos dias de Verão protagoniza um espetáculo que envolve luz e música.

Saransk
Opera House, Saransk créditos: Dreamstime

Outros locais de interesse: Em Saransk há quatro teatros, com programações distintas, vale a pena consultar a agenda desses espaços e ver que espetáculos estão em cena. É que no caso da música, esta é uma linguagem universal, pelo que, pouco importa o conhecimento que se tem do idioma russo. O famoso ator francês Gerard Depardieu, que tem cidadania russa desde 2013 e residência em Saransk, transformou um cinema da era soviética num moderno centro cultural, o Centro Cultural Gerard Depardieu, que para além de salas de cinema destinadas a crianças e famílias, tem também uma sala de concertos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.