Um grupo de sete Sansa, localizado nas províncias do sul na Península da Coreia, foi incluído na Lista do Património Mundial da UNESCO em junho de 2018. São eles: Tongdosa, Buseoksa, Bongjeongsa, Beopjusa, Magoksa, Seonamsa e Daeheungsa.

Estes tradicionais templos coreanos cercados por montanhas foram designados como Património Mundial da UNESCO graças à sua abertura e continuidade do budismo coreano. Estes templos nas montanhas sobreviveram como locais de fé e prática religiosa diária ao longo de mais de 1.700 anos a partir do século IV, quando o budismo foi introduzido pela primeira vez na Coreia.

A Templestay é uma boa forma de aprender a história, a cultura e a tradição do budismo coreano. Muitos templos coreanos, incluindo o Sansa, classificados como Património da Humanidade pela UNESCO, oferecem programas de Templestay.

Templestay significa literalmente "ficar num templo", permitindo que os participantes experimentem um dia ao lado de monges budistas.

templestay
créditos: Templestay

O programa inclui dormir uma noite no mosteiro, experimentar o "Yebul" (cerimónia budista) de manhã cedo, "108 bae" (108 prostrações), "Chamseon" (meditação zen) e aprender a fazer contas de oração budistas. Todas as refeições são vegetarianas.

Quem já teve a oportunidade de experimentar uma Templestay afirmou “Foi uma experiência muito tranquila e pacífica. Pude aprender mais sobre o budismo coreano e a cultura tradicional”.

As Templestays estão a ser realizadas num total de 137 templos em todo o país. Mesmo que não saiba falar coreano, não se preocupe. Vinte e sete templos oferecem programas Templestay em inglês e possuem intérpretes de língua inglesa.

Templestay
Templo Bulguksa créditos: Templestay

Se não tiver a certeza de qual templo escolher, pode consultar as FAQs no site da Templestay. Aqui encontra as listas de templos recomendados para meditação, caminhadas, entre outros tipos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.