Quando se chega ao local, duas tabuletas, em ladeiras distintas, indicam o caminho. Uma seta e inscrição: Castelo.

Vila do Touro
Placa para o "Castelo" créditos: Who Trips

Na verdade até têm alguma razão.
No início do séc. XIII terá começado a construção da fortificação mas ficou a meio. Primeiro por desavenças entre as Ordens, depois porque a fronteira com o reino de Castela e Leão foi alterada, ficou mais distante, na sequência de um tratado.
As muralhas estão no topo de um cabeço com vista ampla sobre a região. Ouve-se apenas o zumbido do vento e o olhar perde-se numa vastidão de muitas dezenas de quilómetros.

Vila do Touro
Arco ogival de acesso às muralhas créditos: Who Trips

Uma das entradas é por um arco ogival de granito e tem de se contornar vários penedos para se chegar ao topo, numa subida íngreme.
Do outro lado do cabeço são mais visíveis as muralhas que contornam o cume e ficam suspensas numa encosta de barrocais muito íngreme, que mais parece uma escarpa.

Vila do Touro
Muralha de Vila de Touro créditos: Who Trips

Segundo o que me contou um casal de idosos da aldeia, a muralha era muito mais alta mas, há muitos anos, a diversão dos miúdos era lançarem as pedras pela encosta abaixo, pelo meio do barrocal, a ver quem conseguia mandar a pedra mais longe.
Meio envergonhada, a senhora que deve ter uns 80 anos, acrescentou que era nos tempos em que não se dava valor à muralha. Agora não, até estrangeiros a vêm ver.

Vila do Touro
Capela da Senhora do Mercado créditos: Who Trips

Ao lado desta entrada há uma capela, da Senhora do Mercado que foi construída no séc. XIV. 
A senhora idosa contou-me porque lhe deram este nome.

Agora deixaram de fazer orações à Santa e já chove nos dias de mercado.
Mas todos os anos a Vila do Touro faz a Festa com Tradição em Honra da Nossa Senhora do Mercado. Costuma ser no início de Setembro.
Esta santa tem uma outra particularidade. Desapareceu da igreja e apareceu próximo do arco que acede à muralha, num lugar onde há uma fonte. 
Desde esse dia que a fonte nunca secou e matou sempre a sede da população que aqui vinha buscar a água até haver canalização, feita pela população.

Vila do Touro
Chafariz do Bezerrito créditos: Who Trips

É o caso do Chafariz do Bezerrito, que fica ao lado do Touro. 
Este chafariz situa-se no centro da aldeia, mesmo ao lado do coreto e próximo da igreja matriz de onde desapareceu a santa.

Vila do Touro
Pelourinho e igreja matriz créditos: Who Trips

É também aqui que está o pelourinho, um dos monumentos da aldeia, classificado de interesse nacional.

 No meio da povoação encontra-se igualmente a capela de S. Sebastião, construída no séc. XVI.

Vila do Touro
créditos: Who Trips

É também vulgar ver penedos, alguns colados às casas e num deles um cão servia de vigia.
A divisória dos terrenos e os caminhos são marcados por pequenos muros de pedras.
O nome da vila tem origem na palavra Tauria e a localização do povoado, próximo da ribeira do Boi, ao que tudo indica, é um dos motivos que explica a sua muito antiga existência, desde muito antes da conquista romana.

Vila do Touro
créditos: Who Trips

Há vestígios arqueológicos como lagares, pias, machados de bronze, sepulturas que indiciam uma presença do homem com alguns milhares de anos.
A visita na Primavera é amena e com uma vista muito bonita, toda verde, dos campos e das azinheiras.

Vila do Touro
Entrada/saída de Vila do Touro créditos: Who Trips

Vila do Touro fica a 10 Km do Sabugal (distrito da Guarda) e tem também sentido o problema do envelhecimento populacional e desertificação.
No último Censos foram registados 183 habitantes, metade do que tinha duas décadas antes.

Vila do Touro tem um castelo?  faz parte do podcast semanal da Antena1 Vou Ali e Já Venho e pode ouvir aqui.
A emissão deste episódio, Vila do Touro tem um castelo?, pode ouvir aqui.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.