Antes de chegarmos à praia fluvial, temos de passar por dentro da aldeia do Sabugueiro, o que, por si só, já vale o percurso. Esta aldeia de montanha, considerada a mais alta de Portugal continetal, está a mais de 1100 metros de altitude, conserva casas tradicionais de granito, uma igreja matriz, um forno comunitário e um pequeno espaço museológico. Junto à estrada, há lojas que vendem recordações e produtos tradicionais da Serra da Estrela.

Com o calor que se fazia sentir no dia em que visitámos o lugar, o momento mais esperado foi chegar à praia fluvial e ter uma agradável supresa: estava vazia!

Praia fluvial do Sabugueiro: mergulhos relaxados com vista para a aldeia e para a Serra da Estrela
créditos: Alice Barcellos

Quando se chega, há um espaço de estacionamento, com algumas mesas para merendar. Alguns passos a seguir e encontramos um açude, formado pelas águas límpidas do rio Alva.

Há uma ponte de madeira que liga os dois lados. Um pouco mais acima, formam-se outras piscinas naturais entre as rochas. Mas a melhor parte desta praia fluvial é o açude, uma vez que há bons acessos para entrar e o fundo é, em grande parte, de areia. É possível nadar e relaxar. Mais para o meio da "piscina", existem rochas, a maior fica um pouco de fora do rio e permite-nos sentar a contemplar o quadro perfeito que a natureza e o homem ali desenharam.

Praia fluvial do Sabugueiro: mergulhos relaxados com vista para a aldeia e para a Serra da Estrela
créditos: Alice Barcellos

A praia fluvial do Sabugueiro não tem Bandeira Azul, o que pode explicar ficar mais vazia, mesmo no pico do verão, mas o espaço estava muito cuidado. Se for visitar, já sabe, contribua para que continue assim: não deixe lixo e respeite a natureza.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.