As luzes e a fumaça espessa que emana do vulcão Taal atraíram uma multidão de observadores, mas também fizeram com que milhares fugissem da sua fúria.

Vulcões, fenómenos atraentes e assustadores
créditos: AFP or licensors

Veja cinco fatos sobre os vulcões, que geram espanto e medo.

Raios

As grandes erupções às vezes dão origem a uma exibição surpreendente de raios que iluminam as enormes nuvens de cinzas ao seu redor.

O fenómeno foi visto várias vezes acima do vulcão Taal. Mais tarde, os vídeos foram amplamente partilhados nas redes sociais.

É um fenómeno relativamente pouco comum e difícil de estudar, e os cientistas não concordam em como são produzidos ou por quê.

Uma das teorias afirma que as partículas colidem no caos da erupção e criam eletricidade estática, o que às vezes causa raios.

No entanto, Indriati Retno Paulpi, vulcanológo e geólogo, disse à AFP que os raios podem ser causados por cinzas que conteriam elementos químicos que reagiriam com os gases.

Tsunamis

Uma erupção violenta pode levar a uma perigosa sequência de ondas do mar, deslocando a água com o magma crescente ou uma avalanche de detritos, de acordo com o Instituto Filipino de Vulcanologia e Sismologia (Phivolcs).

De fato, a erupção do Monte St. Helens em 1980, no estado de Washington (Estados Unidos), causou um tsunami de 235 metros, segundo o Centro Internacional de Informações sobre Tsunamis.

A grande onda foi desencadeada por um colapso parcial num flanco do vulcão e uma avalanche de detritos.

Um milhão de vulcões?

Cerca de 1.500 vulcões estarão potencialmente ativos em todo o mundo, muitos deles no chamado Círculo de Fogo do Pacífico, onde placas tectónicas colidem em grande profundidade.

No entanto, cerca de 75% da atividade vulcânica da Terra ocorre debaixo de água. Erupções subaquáticas, de acordo com a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos, são "um processo constante que molda a fisionomia do oceano".

Geólogos da Universidade Estadual do Oregon acreditam que deverão existir pelo menos um milhão dos chamados "vulcões subaquáticos".

Queda das temperaturas

A erupção do Monte Pinatubo, em 1991, cerca de 100 quilómetros a noroeste de Manila, foi a mais forte nos últimos anos nas Filipinas e causou mais de 800 mortos.

Além disso, a erupção teve um impacto global.

O Pinatubo expulsou cerca de 20 milhões de toneladas de dióxido de enxofre, que se espalharam pelo planeta.

"Essa nuvem de gás [...] fez com que as temperaturas globais caíssem temporariamente (entre 1991 e 1993) em torno de 0,5°C", de acordo com uma investigaçao realizada nos Estados Unidos.

Quando temperaturas mais baixas foram registadas, os gases e cinzas que emanavam do Pinatubo também causaram "alvoradas e crepúsculos brilhantes", segundo o Instituto Geológico dos Estados Unidos.

Vulcões violentos da Indonésia

A Indonésia está na área mais vulcânica do mundo.

Este arquipélago do sudeste asiático, formado por mais de 17.000 ilhas e ilhotas, abriga 130 vulcões ativos e está localizado no Anel de Fogo do Pacífico.

Em 1815, o Monte Tambora, na ilha de Sumbawa, causou uma das erupções mais violentas de que se tem informação. Estima-se que 12.000 pessoas morreram, enquanto a fome que se seguiu à erupção causou a morte de outras 80.000.

A ilha de Krakatoa foi praticamente apagada do mapa em 1883 por uma erupção vulcânica tão violenta que foi ouvida a 4.500 quilómetros de distância.

Cerca de 36.000 pessoas morreram na erupção e por causa do tsunami que ele causou. Em 1928, um novo vulcão surgiu no mesmo local.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.