Chegar a Soprabolzano (Oberbozen em alemão) é simples, basta apanhar o moderno teleférico que sai da cidade de Bolzano. Já para alcançar Collalbo é necessária mais uma etapa: subir a bordo de um pitoresco comboio histórico, semelhante aos que estavam em voga na Suíça, durante a Belle Époque.

Originalmente todo o percurso era realizado por um caminho ferroviário, mas, em 1966, grande parte foi substituído por um teleférico, confortável e rápido, que oferece vistas incríveis sobre toda a região.
Entramos na cabine e, como por magia, ficamos suspensos no ar. Leva apenas 12 minutos a chegar ao ensolarado planalto de Renon (Ritten em Alemão) e o teleférico parte a cada quatro minutos, por isso, praticamente não há tempo de espera.

Soprabolzano é uma charmosa vila de montanha cheia de encantos rústicos e naturais. Caminhando pelas suas ruas facilmente encontramos pitorescos edifícios e, em seu redor, trilhas conduzem-nos a bonitas florestas e pequenos lagos. As vistas para as montanhas são deslumbrantes, qualquer que seja o lugar para onde os nossos olhos se virem.

A Igreja de San Giorgio e San Giacomo é uma das atrações da vila. Data do início do século XIII e tem frescos do final do século XIV. Merece uma visita, assim como o Museo della Apicoltura Plattner, que fica próximo do bonito Lago Costalovara. O Museu está instalado numa fazenda com mais de 500 anos e presta homenagem à história da apicultura. Comprar um pequeno frasco de mel caseiro na loja do museu é obrigatório (é delicioso)!

Há vários percursos pedestres, com diferentes graus de dificuldade que podemos fazer. Alguns são super simples, mas nem por isso menos belos e permitem-nos percorrer os campos, conhecer as florestas alpinas ou simplesmente desfrutar de um piquenique no meio de uma paisagem deslumbrante.

Soprabolzano
créditos: Travellight e H. Borges

Seguindo para sudeste, a cerca de três quilómetros da cidade, encontramos um fenómeno bizarro, de origem natural, que ao longo dos séculos deu muita fama a Soprabolzano: as chamadas Pirâmides de Terra Vermelha.

As pirâmides, que se pensa terem mais de 25.000 anos, são colunas de argila em forma de cone que no seu topo tem uma rocha. A sua forma estranha foi durante muito tempo um mistério, mas há uma explicação para a sua existência: Os pilares de terra começaram a se formar a partir do solo argiloso deixado para trás após a última Idade do Gelo, quando os glaciares do Valle d'Isarco derreteram.

Seco, o solo é duro e firme, mas, assim que chove, torna-se uma massa lamacenta e macia, que se desmancha, formando encostas. Com mais chuvas essas encostas começam a sofrer erosão. No entanto, onde há rochas na massa lamacenta, o solo argiloso sob essas rochas fica protegido da chuva. Assim, enquanto o material circundante é continuamente castigado pelo clima, os pilares protegidos por uma rocha, literalmente erguem-se do solo para formar as majestosas pirâmides de terra. Assim que a pedra (também chamada de chapéu) cai do seu pico, a pirâmide fica desprotegida, exposta à chuva e rapidamente pode virar poeira.

soprabolzano

A viagem de comboio até Collalbo é muito agradável. É um percurso que dura menos de 20 minutos, mas que permite admirar a paisagem, ver as montanhas e relaxar, apreciando sem pressa toda aquela beleza natural.

Existem algumas paragens entre os dois terminais, por isso, podemos descer, dar um passeio e descobrir mais recantos do planalto, antes de apanhar o comboio seguinte.

Chegando a Collalbo (Klobenstein em alemão), basta uma curta caminhada para alcançar o centro, onde podemos almoçar em vários restaurantes, apesar da maioria oferecer os mesmos pratos tradicionais do Tirol do Sul…

Tive a sorte de assistir a um festival onde tocaram, cantaram e dançaram grupos da comunidade Soprabolzano.

A música, os trajes tiroleses coloridos e a comida servida, pouco ou nada tinham a ver com a Itália, e por momentos pensei mesmo que estava na Áustria... afinal este território quase totalmente de língua alemã foi anexado ao Reino da Itália apenas em 1919.

O alemão continua a ser o idioma predominante e preferido aqui, embora a sinalização e os menus nos restaurantes sejam geralmente impressos também em italiano (e às vezes em inglês).

O tranquilo vilarejo de Collalbo é uma pequena localidade com cerca de 1.400 habitantes. No entanto, é o principal assentamento de Renon.

A uma altitude de mais 1.100 metros, a cidade oferece vistas deslumbrantes dos seus arredores montanhosos. De manhã podemos desfrutar do ar puro alpino enquanto bebemos um café no pequeno centro da cidade. Vale a pena visitar a pequena Igreja de Santo António e depois explorar a pé ou de bicicleta as várias trilhas de caminhada que passam por riachos e desfiladeiros dramáticos.

Outra maneira de ver a área circundante é através da Ferrovia Renon Narrow-Gauge. Basta embarcar numa das antigas carruagens de madeira em Collalbo e seguir até à estação de Maria Assunta. No caminho, as vistas incríveis para as montanhas Dolomitas, são garantidas!

collalbo

Uma das maiores atrações de Collalbo em qualquer temporada é a Arena Ritten, um centro desportivo que oferece diversas atividades ao longo do ano. No verão é usado para jogar ténis e nadar na piscina ao ar livre e no inverno, é usado para patinar na pista de gelo ou para assistir a um jogo de hóquei no gelo.

Para quem prefere a neve, a área de esqui Corno del Renon fica nas proximidades. O Corno del Renon é um pico de 2.260 metros, de onde se tem uma fantástica vista de 360 ​​° sobre os Alpes. É também chamada de “mesa redonda”.

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook 

Artigo originalmente publicado no blogue The Travellight World

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.