Não o sinto da mesmo maneira que estando em Portugal, talvez por a rotina não estar adjacente a este dia, não ter de planear onde passar a meia noite e não jantar em família. Em Ho Chi Minh, no Vietnam, esta não é a data mais importante, pois o ano novo vietnamita celebra-se no inicio de fevereiro. No entanto, a passagem de ano também é celebrada e a festa faz jus às celebrações no resto do mundo.

A rua pedonal Bui Vien, que já costuma ser a rua mais movimentada e frequentada pelos turistas para longas noites de diversão, está sobrelotada. As filas de pessoas a tentar deslocar-se de um lado para o outro não terminam e é possível demorar largos minutos a percorrer escassos metros. A música anima os milhares que estão de passagem pela rua com confettis e alguns artifícios com fogo à mistura. O clima é claramente de festa. Caminhar nesta rua é complicado pelas massas que nela se acumulam, portanto o melhor é contorná-la, caso o destino seja outro, como foi o meu caso. A deslocação nesta rua em certos pontos é feita à base de empurrões, mesmo que se queira seguir o próprio caminho não dá. As pessoas são tantas que se tem inevitavelmente de seguir a corrente pois não há nem um centímetro de manobra.

Fogo de artifício
créditos: While You Stay Home

Seguindo rumo ao fogo de artifício que tem como referencia a Bitexco Tower, nas ruas as centenas de motas não param. No Porto, onde costumo passar o ano, as ruas estão cortadas ao trânsito, ou até mesmo as pessoas nem se aventuram a levar o carro para muito próximo dos “pontos quentes”. Aqui no Vietnam é diferente, somos reconhecidos como turistas pois andamos a pé. Eles vão de mota em direção ao rio, de onde se tem a melhor vista para o fogo de artifício, sem altos edifícios a importunar a vista para o espetáculo. As ruas estão repletas de motas que servem de assento para assistir ao espetáculo. São centenas e centenas de motas, ou até mesmo milhares, que preenchem as ruas por completo e quem anda a pé só as tem de contornar. Com tanta mota por metro quadrado, eles não têm manobra para se mexer depois de instalados, daí achar que a mota até nem é o melhor meio de locomoção para o acaso.

O fogo começa à meia-noite e dura 15 minutos. O espetáculo é lindo e vistoso. Ouve-se sons de espanto quando um foguete mais arrojado se mostra no ar. Parecem realmente admirados e entusiasmados com o show. Pergunto-me se não estarão habituados a ver fogo de artificio muitas vezes…

Este ano não há uvas passas nem champanhe! Só uns gritos de "bom Ano Novo" e desejos no subconsciente que são contados tantas vezes como as uvas passas. Tentei, mas não o fiz, nem tão pouco me lembrei das uvas passas quando os fogos começaram. Só depois, enquanto os admirava e refletia, me lembrei… Assisti simplesmente ao espetáculo com esperança que este ano seja tão bom como 2018 foi.

Cerca de 12 minutos depois, algumas motas já começam a desertar pois já se sabe o trânsito infernal que estará assim que o fogo acabe. O trânsito em Ho Chi Minh nesta noite é caótico! Ainda assim foi uma noite bem passada com companhia de desconhecidos que se tornaram mais conhecidos nesta noite. Ainda antes de me encontrar com as meninas filipinas com quem passei o ano, tive tempo de ajudar um jovem vietnamita a praticar inglês enquanto estava sentada na rua à espera delas. É engraçado como eles se dirigem aos turistas para praticar línguas.

Foi uma viragem de ano diferente, bem como espero um 2019 muito diferente de qualquer outro ano vivido até hoje. Feliz 2019!

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.