Mas para além desta cor toda “girl power”, que, afinal, é apenas a cor associada à hospitalidade e escolhida pelo marajá para receber a visita do Príncipe Eduardo em tempos que já lá vão, a cidade e arrabaldes tem alguns dos sítios mais fotografáveis da Índia.

Claro que a Índia são as pessoas, os contrastes, as cores e o caos mas Jaipur vem com tudo isso e com uma dose extra de fotogenia a acompanhar.

Por isso, metam-se num tuk tuk, vejam se têm bateria na máquina fotográfica, respirem fundo e preparem-se para Jaipur:

1- City Palace

Foi mandado construir pelo Maharaja Sawai Jai Singh II e ocupa 1/7 de toda a área da parte antiga da cidade. Há dois tipos de bilhetes, o geral que dá acesso a pátios, jardins e parte pública do palácio e um outro, bem caro por sinal, que dá acesso ao Chandra Mahal. É a secção mais bonita do palácio e só com esse bilhete podem aceder, por exemplo, à sala azul ou às portas das quatro estações. Apesar de caro, na verdade, vale cada rupia.

City Palace
City Palace créditos: Mundo Magno
City Palace
City Palace créditos: Mundo Magno

2- Forte Amber

É um complexo de palácios, pátios, jardins e até um templo hindu a cerca de meia hora de Jaipur. É mais um daqueles sítios onde é melhor chegar à abertura para conseguir fotografar sem que cada fotografia pareça uma foto de grupo com os outros visitantes.

Forte Amber
Forte Amber créditos: Mundo Magno

3- Hawa Mahal (palácio dos ventos)

Este palácio, que na verdade é uma extensão do City Palace, foi construído em 1799 e tem 953 janelas. Não admira que tenha o cognome de “palácio dos ventos”. E se é verdade que em tempos essas pequenas janelas serviam para as mulheres do palácio poderem assistir ao dia a dia da cidade sem serem vistas hoje servem de background para as fotos mais delicodoces do Instagram.

As melhores fotos conseguem-se das várias lojas e cafés em frente. Pessoalmente gosto mais das fotos tiradas no último e penúltimo andar do prédio em frente ao palácio.

Jaipur: será esta a cidade mais fotogénica da Índia?
Hawa Mahal créditos: Mundo Magno

4- Observatório astronómico Jantar Mantar

Entre 1724 e 1730, o Maharajah Sawaii Jai Singh II mandou construir cinco observatórios astronómicos no norte da Índia. Estes observatórios são conhecidos por “Jantar Mantars” e são compostos por vários edifícios cada um especializado numa diferente função astronómica.

Têm linhas arquitetónicas delicadas e harmoniosas e são muito diferente de qualquer coisa que tenha visto. Apesar de estar sempre muito cheio há muitos recantos onde dá para fugir das multidões.

Observatório astronómico Jantar Mantar
Observatório astronómico Jantar Mantar créditos: Mundo Magno

5- Jal Mahal

Imaginem um palácio dourado a emergir do meio das águas de um lago. Não precisam imaginar mais porque em Jaipur há um. Infelizmente não é permitido visitar o interior do palácio mas as vistas do exterior valem a visita.

Jal Mahal
Jal Mahal créditos: Mundo Magno

6- Forte Nahargarh

É o sítio com as melhores vistas de Jaipur, especialmente ao fim do dia quando a luz coada do sol baixa para dar um beijo de boa noite às muralhas. Tornou-se conhecido nos últimos tempos pelas fotos de “bloggers” a passear sobre as muralhas a largas dezenas de metros do chão. Para além de perigoso, por causa dos ventos fortes, é estritamente proibido por danificar a estrutura. Mas há muitas outras formas criativas de fotografar o sítio sem desafiar o perigo.

Forte Nahargarh
Forte Nahargarh créditos: Mundo Magno

7- Galta Ji (Templo dos macacos)

Fica a 30 minutos de Jaipur e dá para visitar no mesmo dia do Forte Amber. É um complexo de templos com estruturas muito incomuns para um templo hindu e, espante-se, está cheio de macacos. É um daqueles poucos sítios no Rajastão onde se encontram mais locais do que turistas.

Se se sentirem aventureiros podem sempre juntar-se aos peregrinos e macacos nos banhos numa das várias fontes e tanques com água sagrada.

Galta Ji
Galta Ji créditos: Mundo Magno

8- Paprika gate

A 25 minutos do centro da cidade de Jaipur encontram este oásis de tranquilidade em tons pastel. Na verdade, não é um monumento por si só mas sim a entrada em grande para um jardim, o Jawahar Circle Garden. Ainda não inventaram adjetivos que qualifiquem a beleza e a delicadeza das pinturas à mão nos tetos e pilares. É toda a história do Rajastão e dos seus marajás pintada numa overdose de cores e detalhes.

Paprika gate
Paprika gate créditos: Mundo Magno

9- Royal Gaitor

No sopé do Forte Nahargarh fica um sítio negligenciado por muitos visitantes mas que merece uma paragem de 30 minutos. Não é um sítio convencional. Na verdade é uma espécie de cemitério com vários túmulos de marajás. Ainda assim tem qualquer coisa de etéreo e uma tranquilidade quase palpável.

Royal Gaitor
Royal Gaitor créditos: Mundo Magno

10- Panna Meena Ka Kund

Foi construído no século XVI para fornecer água à população local. E, apesar de existirem mais uns quantos destes poços espalhados pelo país, este é provavelmente o mais fotogénico de todos.

Há pouco tempo andou nas “bocas” da comunidade viajante por causa da proibição decretada pelas autoridades locais, em resposta ao enorme afluxo de visitantes e ao risco de destruição e acidentes que daí adveio, de proibir que se desça as escadarias. Na verdade, se forem suficientemente cedo, leia-se antes das 9 da manhã, os guardas permitem que se faça uma foto rápida.

Fica a 1 km do Forte Amber, por isso é uma boa opção combinar as duas visitas.

Panna Meena Ka Kund
Panna Meena Ka Kund créditos: Mundo Magno

Acompanhe as nossas aventuras mais recentes no Instagram Mundo Magno

Artigo originalmente publicado no blogue Mundo Magno

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.