Em 1882, numa das muitas curvas do Furka Pass, foi construído o Hotel Belvedere. Ninguém sabe o que moveu o jovem de 24 anos, Josef Steiler, a construir um hotel num sítio tão inóspito. Quem sabe o facto de ter crescido em Gletsch, no hotel dos pais, de onde se avista o Furka e o sítio onde construiu o hotel… quem sabe o facto de o hotel ficar a 100 metros do Glaciar Rhone… quem sabe era um visionário com muito bom gosto.

Hotel Belvedere: nas curvas vertiginosas do Furka Pass com vista para os Alpes e um glaciar mesmo em frente
créditos: Mundo Magno

Apenas se sabe que o hotel era pequeno e modesto na sua configuração inicial e só em 1904 foi aumentado para uma capacidade de 90 quartos e com o aspeto que tem hoje.

O Furka Pass já existia há muitos anos, mas era um caminho militar estreito em terra batida, onde só se conseguia passar a pé ou de mula. Só em 1860 é que foi reconstruído e alargado e começaram a surgir turistas em busca de aventuras, glaciares, montanhas e ar puro. O hotel começou finalmente a prosperar.

Glaciar mesmo em frente ao hotel
Glaciar mesmo em frente ao hotel créditos: Mundo Magno

Mas foi em 1964 que o hotel se tornou realmente famoso mundialmente e não como até aí, um segredo entre aventureiros. O filme James Bond Goldenfinger revelou ao mundo uma das estradas mais bonitas e desafiantes de sempre, o Furka Pass, na famosa cena de perseguição pela montanha entre o Aston Martin DB5 de James Bond e o Ford Mustang descapotável de Tilly Masterson’s. E no meio da cena e no meio do nada, aparece o hotel Belvedere e parte do glaciar.

Diz-se que foi o próprio Sean Connery, que adorava a zona e era cliente regular do hotel, que insistiu que a cena fosse ali filmada.

Com o passar dos anos e a evolução da indústria automóvel o Furka Pass deixou de levar 2 ou 3 dias para atravessar. Nos dias de hoje e já há alguns anos, é um passeio de um dia no máximo. E os hotéis ao longo da estrada começaram a fechar um a um.

Glaciar Rhone
Glaciar Rhone créditos: Mundo Magno

O glaciar do Rhone, que era a principal atração junto ao hotel, regrediu muito, e já não se avista das janelas. Em pouco tempo as pessoas que vinham para dormir passaram a fazer apenas uma paragem para fotos, e o hotel que tinha um estilo vintage rapidamente passou a obsoleto e há quatro anos, em 2015, o hotel Belvedere fechou as suas portas de vez. Ou talvez não… todas as vezes que lá passamos as portadas das janelas e as cortinas estão em posições diferentes.

Hotel Belvedere
créditos: Mundo Magno

Em dias de mau tempo e de nevoeiro fica com uma aura mística e assustadora. Mas ainda assim dormia lá.

Dicas para quem quer ir:

- Se passarem no Furka Pass, parem junto ao hotel para uma visita ao glaciar.

- Continuem depois para o Grimsel Pass e visitem os vários lagos e, já no fim, o GelmerBhan e andem no funicular mais inclinado da Europa.

Acompanhe as nossas aventuras mais recentes no Instagram Mundo Magno

Artigo originalmente publicado no blogue Mundo Magno

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.