A Air New Zealand  afirma ter o primeiro protótipo em funcionamento de camas individuais para classe economia. O projeto, apelidado de "Skynest", vai incluir seis cápsulas para dormir, que os passageiros vão poder reservar além do assento comum. Cada cápsula tem cerca de 2 metros de comprimento e 58 centímetros de largura, e está equipada com almofada, lençóis, cobertor, protetores de ouvidos e cortinas. A companhia aérea também está a explorar a possibilidade de adicionar recursos extra, como luzes de leitura e tomadas USB.

A companhia aérea entrou com pedidos de patente e marca registada do conceito Skynest na terça-feira e o projeto pode demorar mais de um ano a materializar-se. A Air New Zealand está a testar o conceito Skynest com mais de 200 clientes, no seu laboratório de inovação em Auckland, e afirma que o feedback dos clientes, membros da tripulação e outras partes interessadas foi "excelente". Quanto ao preço, a companhia aérea ainda não determinou os custos e ainda está a avaliar a proposta comercial e a viabilidade do produto.

A preocupação da Air New Zealand com o conforto já é antiga. A companhia aérea  também lançou o "Economy Skycouch" em 2011, que permite que aos passageiros que viajam juntos possam transformar os seus assentos numa cama.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.