Localizada bem no coração do Mar Mediterrâneo, Maiorca é sol, montanha, mar, gastronomia e cultura. A ilha reúne tantas atrações que nem sei bem por onde começar: Qual praia é a mais bonita, qual é a enseada mais secreta, qual é a cidade com maior encanto?

A melhor maneira de descobrir Maiorca é de carro. Podemos alugar um assim que chegamos no aeroporto e isso permite-nos alcançar com facilidade as pequenas vilas e as praias mais isoladas e bonitas. Quem preferir não conduzir pode ainda optar por fazer visitas guiadas. Existem muitas que saem de Palma de Maiorca e que levam as pessoas a conhecer os locais mais bonitos da ilha.

A costa oeste de Maiorca e o norte são particularmente incríveis. Percorrendo a estrada podemos encontrar vilas pitorescas como Valldemossa, Deià ou Sóller.

Valldemossa é a base perfeita para começar a explorar a ilha. É muito turística, mas também é uma das mais bonitas vilas de Maiorca. Está situada num vale ao longo das montanhas Tramuntana e a sua principal atração é a Real Cartuja — Um grande e antigo mosteiro que já foi lar de reis, monges e mais tarde abrigou celebridades como Frédéric Chopin e George Sand.

A Serra de Tramuntana que cerca Valldemossa é Património Mundial da UNESCO desde 2011 e protege Maiorca dos ventos frios do norte. A cordilheira também é um sonho para os caminhantes. Paisagens rochosas e vistas de tirar o fôlego, bem como pequenas enseadas escondidas e grutas, são as recompensas que aguardam aqueles que gostam de andar a pé.

Passear pelas bonitas ruas de Valldemossa é um prazer. Por aqui não faltam cafés, galerias de arte e bons restaurantes onde comer. Diz-se que a Santa Catalina Thomas de Maiorca nasceu em Valldemossa e, por isso, muitas das casas da vila têm uma placa com as suas orações.

Port Valldemossa não é um lugar espetacular em si, mas a viagem de Valldemossa vale a pena. A estreita estrada que desce até este pequeno porto tem algumas vistas incríveis. Fora isso, não há muito mais para ver na pequena vila de pescadores, a não ser uma pequena praia de seixos e um restaurante.

Longe dos centros turísticos, Maiorca é paz e tranquilidade. Podemos sentir isso em lugares como Deià, uma charmosa vila de montanha cercada por oliveiras, limoeiros e amendoeiras. Aqui não há vestígios de grandes hotéis e resorts, apenas hotéis boutique, pequenos e exclusivos. As galerias da vila são obrigatórias para todos os entusiastas da arte e vale a pena subir a colina até à Igreja de São João Batista para apreciar a vista. O compositor Andrew Lloyd-Webber é um dos habitantes ilustres de Deià, mas o seu casario cor ocre, atrai regularmente famosos como Bruce Willis, Leonardo Di Caprio, o chef de cozinha Jamie Oliver e outras personalidades que atracam os seus iates na Cala Deià

Cala Deià é uma pequena praia rochosa, de águas cristalinas, nos arredores de Deià. Na descida para a praia encontramos a Rota de La Piedra en Seco, que liga Deià a Pollença, uma trilha espetacular com vistas deslumbrantes da costa de Maiorca.

Continuando pela estrada costeira chegamos a Sóller. Localizada num rico vale de laranjeiras, cercada pelas montanhas mais altas de Maiorca, Sóller é um destino muito popular entre os turistas e muitos chegam no histórico elétrico de Sóller (tranvía de Sóller). É também daqui que partem muitos amantes do trekking para explorar os diversos itinerários disponíveis.

A Igreja de São BartolomeuPort de Sóller e a sua aldeia de pescadores merecem igualmente uma visita, e um passeio de barco nesta região permite-nos obter uma perspetiva diferente da Serra Tramuntana.

Saindo de Sóller rumo ao norte, a paisagem intocada começa a ficar cada vez mais espetacular. Torrent de Pareis — um desfiladeiro natural que possui uma praia cercada por penhascos, com águas claras — é um dos cenário mais belos.

Logo após o lago Gorg Blau, há uma saída para Torrent de Pareis. A estrada é ventosa e do estacionamento ainda temos de caminhar uns 20 minutos, mas vale a pena, principalmente ao fim do dia para ver o pôr do sol.

Para mais um pôr do sol épico, temos de ir até à bonita península Cap de Formentor e visitar o Mirador d'es Colomer, situado a mais de 300 metros acima do nível do mar.

De Cap Formentor é fácil chegar a Pollença, mas antes de alcançar esta cidade podemos visitar uma das grutas de Maiorca. São cinco e destas destacam-se as Cuevas del Drach — As maiores grutas da ilha, famosas pela sua iluminação e pelo grande lago Martel, um dos maiores lagos subterrâneos do mundo. Aqui, depois de assistir a um concerto de música clássica ao vivo, podemos dar um passeio de barco.

Em Pollença, para alem da paisagem, há outros motivos de interesse. A Praça Mayor, a Igreja de Mare de Déu Dels Àngels, do Séc. XVIII, o Convento de Santo Domingo e a Ponte Romana, são apenas alguns.
Para almoçar ou jantar podemos ir até Port de Pollença e ficar numa das esplanadas à beira-mar.

Nenhuma viagem a Maiorca pode ficar completa sem uma visita a Palma, a sua capital. O seu centro histórico está recheado de tesouros como a Catedral, o Palácio de La Almudaina e os Banhos Árabes. Os museus, as lojas, os bares e os restaurantes são igualmente destaque nesta cidade e convidam-nos a mergulhar na cultura maiorquina.

Por fim, falta mencionar Alcúdia, o segundo destino mais popular de Maiorca, a seguir a Palma, e onde encontramos as praias de maior dimensão. São 30 quilómetros de zona costeira bem preservada. No centro histórico da cidade não faltam bons restaurantes e esplanadas onde provar os sabores da cozinha espanhola e maiorquina e em termos arquitetónicos, destaca-se a muralha renascentista, a Igreja de Sant Jaume e a Capela de Santo Cristo. Os melhores bares da cidade estão em Port d’Alcúdia, onde há praias e inúmeras opções de entretenimento e desportos náuticos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.