Enquanto comemoramos mais um Mês do Orgulho, a comunidade LGBTQ+ e os seus apoiantes  estão a celebrar a importância da liberdade de sexualidade e expressão de género. Mas, à medida que muitos procuram oportunidades de trabalho e vida no exterior, a questão é inevitavelmente levantada: qual país oferece mais direitos para pessoas LGBT+?

Para descobrir, o UpCounsel extraiu dados do site Rainbow Europe da International Lesbian, Gay, Bisexual, Trans and Intersex Association (ILGA) para analisar 49 nações europeias e determinar para qual país da Europa é o melhor, com base nos direitos para a comunidade LGBT+.

A ILGA analisa a quantidade de leis, reformas e conquistas que cada país europeu, no que diz respeito às pessoas LGBTQ+, sob sete critérios, que incluem Reconhecimento Legal de Género e proteção contra Crimes e Discurso de Ódio.

O estudo revelou que Malta é o país com mais direitos LGBT+ na Europa, com uma pontuação de 92. O país insular viu inúmeras reformas introduzidas na última década, particularmente depois de Marie Louise Coleiro Preca se ter tornado presidente em 2014.

E, no extremo oposto, quais são os piores países para a comunidade LGBT+?

O UpCounsel também revelou que o pior país europeu  com base nos direitos LGBT+ é o Azerbaijão. O país termina com uma pontuação geral de apenas 2, e é seguido de perto pela Turquia, o segundo pior país, com uma pontuação de 4.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.