O meu ponto de interesse era o miradouro de Santo Antão e o da Fraga, sendo o primeiro o mais alto e com vista mais ampla. No entanto, chegar aqui de bicicleta não foi fácil, já que visitar colinas neste meio de transporte não será a melhor opção. Ainda assim, decidi levar a bicicleta comigo.

De bicicleta pela Galiza: De Moledo a Vigo, sempre junto ao mar
Moledo créditos: While You Stay Home

O miradouro da Fraga é muito bonito e revela quantos tons de azul o rio reflete, imagem que só se pode apreciar de pontos mais altos, daí gostar tanto de visitar miradouros.

Já chegar ao miradouro de Santo Antão de bicicleta não foi possível para mim porque fui por uma estrada muito acentuada e acabei por achar mais conveniente deixar a bicicleta a meio do caminho.

Mesmo a pé, a subida é íngreme, não avistei mais ninguém subindo sem ser de carro. O miradouro de Santo Antão vale a pena pela tranquilidade do local e pela vista ampla e majestosa do rio Minho e da vizinha Espanha do outro lado.

Moledo também é destino de praia e tem um parque de campismo mesmo ao lado da praia da foz do Minho com muitos turistas. O espanhol é muito frequente por estas bandas.

De bicicleta pela Galiza: De Moledo a Vigo, sempre junto ao mar
Moledo créditos: While You Stay Home

Também gostei bastante de conhecer a Mata do Camarido, um bosque de pinheiros mesmo ao lado das praias com caminhos bem delineados para um agradável passeio na natureza.

No dia seguinte, o meu objetivo é chegar a Baiona em Espanha, fazendo a costa espanhola de bicicleta.

Tinha uma ideia de que seria uma viagem bonita porque a estrada fica bem ao lado do mar. O que não sabia é que por aqui também se fazem os caminhos de Santiago, o que ajudou imenso na minha viagem, já que a maior parte do caminho tem faixas dedicadas aos peregrinos e a bicicletas. Portanto, não senti insegurança nesta jornada.

Para passar de Moledo para Camposancos, no outro lado do rio e já em Espanha, fui de taxi-boat, já que naquele dia o ferry-boat não estava operacional devido a descanso semanal que é feito às segundas-feiras. Meti a bicicleta no barco e fui até ao outro lado da margem numa viagem que dura uns 5 minutos.

Sabia que a distância que ia percorrer nesse dia seria de cerca de 40km, mas já não andava de bicicleta há muito tempo e estava nervosa com o facto de não aguentar pedalar essa distância, já que nunca fiz uma viagem tão longa numa bicicleta.

De bicicleta pela Galiza: De Moledo a Vigo, sempre junto ao mar
La Guardia créditos: While You Stay Home

A primeira paragem cénica foi La Guardia. Uma cidade costeira com um porto e um charme especial com as águas cristalinas a terem como fundo as casinhas coloridas. Um cenário muito bonito e fotogénico.

Até aqui, a viagem foi feita maioritariamente em passadiços mesmo ao lado do mar. O terreno é, maioritariamente, plano e a viagem é super agradável!

A próxima paragem, desta vez para o lanche, foi em Oia junto ao mosteiro de Santa Maria de Oia.

Até aqui já havia feito algumas paragens pois o cenário ao longo da costa é muito bonito e, estando de bicicleta, paro quando e onde eu quero. Para já as estradas foram sempre bem planas e a dificuldade não foi quase nenhuma.

De bicleta pela Galiza
créditos: While You Stay Home

A partir de Oia até ao Faro Vello de Silleiro é que já há mais subidas e o caminho é mais cansativo, mas as vistas nunca desiludiram e o esforço valeu sempre a pena.

Nesta zona do farol fiz uma paragem bem longa pois estava muito cansada dos 35km que tinha feito.

De bicicleta pela Galiza: De Moledo a Vigo, sempre junto ao mar
créditos: While You Stay Home

As vistas aqui têm como plano de fundo as Ilhas Cíes. Uma visão muito gratificante. Também se encontram alguns espanhóis a fazer praia por aqui. Embora não haja muito areal, eles deitam-se nas rochas banhadas de várias tonalidades de azul. Fiquei por aqui um bom tempo a descansar sabendo que ainda me faltavam 5km até Baiona.

Como já estava bastante dorida, estes últimos quilómetros foram penosos, mas não pela dificuldade do caminho que se revelou sempre bem plano. Mais uma vez, a linha de costa foi cenário de fundo e as Ilhas Cíes nunca foram perdidas de vista.

De bicicleta pela Galiza: De Moledo a Vigo, sempre junto ao mar
Baiona créditos: While You Stay Home

Várias horas depois de ter começado o dia, chego finalmente a Baiona, uma cidade pequenina, mas acolhedora. Estava desejosa de lá chegar e ficar na praia o resto do dia sem me mexer. Deixei a parte de explorar um pouco a cidade para o dia seguinte.

Uma manhã bastou para andar pelas ruas pitorescas de Baiona e para percorrer o caminho que rodeia o forte da cidade. A cidade é pequena, mas charmosa, com várias praias, muitas pessoas a passear e cenários bem encantadores.

De bicicleta pela Galiza: De Moledo a Vigo, sempre junto ao mar
Baiona créditos: While You Stay Home

As praias são pequeninas, mas têm vistas bonitas. Não estão lotadas e por isso considerei Baiona um destino de praia interessante e chamativo.

Neste mesmo dia, da parte da tarde, parti para Vigo na bicicleta. E esta parte da viagem será tema para o próximo artigo.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.