Embora o seu território seja ocupado desde a pré-história, a Croácia tem um passado bastante conturbado. Ao longo dos séculos, sofreu invasões e pressões de diversas potências vizinhas e, em 1991, altura em que se separou da antiga Jugoslávia e se tornou independente, viveu uma guerra civil que durou até 1995 e que acabou por afastar os turistas.

O processo de reconstrução do país, que passou a integrar a União Europeia em 2013, a sua beleza natural, o clima mediterrânico na zona litoral e a procura de novos destinos devido à situação de instabilidade na Turquia e Egito, juntando o receio em relação à Tunísia por parte dos turistas, tornaram a Croácia num dos destinos mais atraentes da atualidade.

É o verde das montanhas, o azul do mar Adriático, o cheiro a lavanda, as mais de mil ilhas e toda a herança histórica, que nos faz deambular entre vários séculos, que nos deixa tão apaixonados pela Croácia.

Croácia
Trogir créditos: Ana Oliveira

A Croácia é um daqueles destinos que não dizemos adeus, mas sim, até já. À medida que descobrimos o país e que nos vamos surpreendendo, percebemos que há um outro lugar, uma outra paisagem que não vamos querer perder.

E numa viagem nem sempre dá para tudo. Por isso, despedimo-nos com o desejo de voltar e de descobrir mais. Porque mais do que descobrir, vamos querer desfrutar e para desfrutar precisamos de tempo. E é aqui que se complica. As viagens têm sempre um começo e um fim.

É que vamos querer respirar o ar de Opatija, passear pelas suas ruas elegantes, enquanto apreciamos os edifícios típicos da belle époque  e fazer o caminho de Lungomare, que fica junto ao mar.

Opatija
Opatija créditos: Ana Oliveira

Mas também vamos querer descobrir outras praias. Caminhar pela costa e, porque não, parar a caminho para dar um mergulho ou, simplesmente, para tirar uma fotografia? Talvez parar somente para apreciar, respirar fundo e sorrir. É que pelo caminho vamos encontrar paisagens de cortar a respiração.

Os desejos e as vontades não vão ficar por aqui. Vamos querer saudar o sol em Zadar, beber o licor maraschino e escutar o Órgão do Mar. Explorar a cidade medieval da Dalmácia em Trogir, que é património da UNESCO, e aventurarmo-nos em Split, ao caminharmos no interior das muralhas do Palácio Diocleciano.

Saudação ao Sol, Zadar
Saudação ao Sol, Zadar créditos: Ana Oliveira

Se formos mais urbanos, há a capital, Zagreb, com uma dinâmica diferente, que não deixa de ter interesse, mas talvez nos faça sentir saudades da dolce vita: sentar ao livre numa quinta no meio do campo, a respirar o ar puro e a sentir o cheiro a lavanda, enquanto saboreamos um copo de vinho em boa companhia, com pássaros a voar e cavalos a pastar nas redondezas.

E o mar? Desse não nos esquecemos. Por mais distante que esteja, continuará sempre a convidar-nos a mergulhar nas suas águas verdes e azuis.

Split
créditos: Ana Oliveira

Ah! E se formos fãs da série "Guerra dos Tornos", não vamos querer sair da Croácia, sem pelo menos visitar um dos vários cenários onde a série foi filmada. Imagine-se no topo da Fortaleza de Klis, o cenário de Meereena recriar a cena em que Daenerys Targaryen liberta os escravos.

Se lhe disserem que é no berço da nação croata, Nin, que se encontra a catedral mais pequena do mundo, não ficará com curiosidade? É provável que sim.

Fortaleza de Klis, Split
Fortaleza de Klis, Split créditos: Ana Oliveira

E antes fosse só isto. Na verdade, há muito mais. Talvez seja um destino para todos os gostos, para os casais apaixonados, para quem gosta de fazer cruzeiros, de natureza ou de aventura, para os amigos, para os amantes da história, reformados e famílias .

Talvez o melhor ponto de partida seja saber o que quer fazer e a partir daí traçar o seu roteiro pela Croácia, com a certeza de que pelo meio vai se “perder” .

O SAPO Viagens viajou para Croácia a convite da Croatia Airlines e do Turismo da Croácia

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.