Rio Garrone e Pont de Pierre: Esta ponte liga o centro histórico, na margem esquerda do rio Garonne, ao bairro de Bastide, na margem direita. Inaugurada em 1822, foi a primeira ponte a atravessar o rio na cidade de Bordéus. Curioso é o facto da ponte ter sido encomendada por Napoleão e dos  seus 17 arcos corresponderem ao número de letras do seu nome. É no centro histórico que se pode ver o famoso Grosse Cloche de Bordeaux, um grande sino que se encontra em Saint Eloi Porte, uma porta existente na antiga muralha que circundava a cidade e que é hoje um dos monumentos medievais da cidade. Em tempos, a existência deste sino era vital para a cidade, informando a população sobre eventos importantes ou soando o alarme em situações de perigo, como incêndios ou invasões inimigas. Daí que se tenha tornado num símbolo de Bordéus estando representado no brasão de armas da cidade.

Place de la Bourse e Miroir: Esta praça é um verdadeiro ícone de Bordéus. Desenhada pelo arquiteto Ange-Jacques Gabriel, em 1775, significou uma abertura do centro histórico ao rio Garonne. Paredes medievais da cidade foram demolidas para dar lugar a uma praça em forma de ferradura emoldurada por elegantes palácios: o Hôtel des Fermes, que servia para albergar os coletores de impostos do rei; e o palácio da antiga bolsa de valores da cidade. No centro da praça havia uma estátua equestre de Luís XV, que foi removida durante a Revolução Francesa e posteriormente substituída por uma fonte. Esta praça ficou ainda mais valorizada desde 2006, altura em que foi instalado um dos maiores espelhos de água do mundo e onde se podem ver refletidos os belíssimos palácios.

Place de la Bourse, Bordéus
Place de la Bourse, Bordeaux. © Boarding1now | Dreamstime.com créditos: Dreamstime

Grand Théâtre: Projetado no auge do Iluminismo e inaugurado em 1780, este é sem dúvida um dos mais belos teatros de toda a Europa, com destaque para sua fachada neoclássica. Foi concebido como um templo das Artes e da Luz e apresenta um pórtico de 12 colossais colunas em estilo coríntio que sustentam um entablamento no qual estão 12 estátuas que representam nove Musas e três deusas (Juno, Vênus e Minerva). Atualmente é a sede da Opéra National de Bordeaux e do Ballet National de Bordeaux.

Cathédrale St-André: Esta catedral gótica e românica começou a ser construída no século XI. É um local de interesse não só pela sua beleza e grandiosidade, mas também por ser um ponto de passagem para os peregrinos que fazem o Caminho até Santiago de Compostela, em Espanha. Classificada como Património Mundial da UNESCO grande parte do que se pode ver foi construído nos séculos XIII e XIV, embora a parte mais antiga date de 1096. Destacam-se as excepcionais esculturas em alvenaria no portal norte e o imponente campanário gótico com 50 metros de altura.

Catedral de Bordéus
Cathédrale Saint-André de Bordeaux @Pixabay créditos: Pixabay

Musée d’Aquitaine: Instalado no antigo prédio do departamento de Artes e Humanidades da universidade, trata-se de um museu da história da França e, em particular, da região da Aquitânia da qual Bordeaux é a capital. É um ótimo lugar para os visitantes entenderem as diferentes áreas urbanas de Bordéus. O museu exibe a diversidade e a história da região de Aquitânia, desde a pré-história até aos dias atuais. Vários itens pré-históricos e galo-romanos estão retratados e uma das suas grandes atrações é a tumba do grande filósofo, Montaigne.

Musée des Beaux Arts:Não é o Louvre, mas é um dos maiores museus da França. Foi inaugurado em 1801 pelo pintor Pierre Lacour e ocupa duas alas do Hôtel de Ville construído em 1770. A sua coleção abrange vários períodos da arte europeia desde a Renascença até o século XIX. Muitos dos grandes nomes do mundo da pintura estão representados aqui, como Matisse, Picasso, Peter Paul Rubens, Van Dyck, Renoir, Jan Brueghel, o Jovem, Ticiano, Delacroix ou Hans Clot. O museu acolhe também a última obra pintada por uma das primeiras e mais célebres artistas femininas de Bordeaux, Rosa Bonheur (1822 a 1899), que usava calças quando trabalhava, algo inédito para a época.

Vinho Bordéus
Close up of Bordeaux wine label on wooden boxes | © Jacquespalut | Dreamstime.com créditos: Dreamstime

Muito mais há para ver nesta cidade que é também um ótimo lugar para degustar a magnífica gastronomia bordalesa e também para fazer compras! Isto já para não falar no vinho, claro! Para os verdadeiros apreciadores do néctar dos deuses é também obrigatória uma visita à Cité du Vin, um museu inteiramente dedicado ao vinho, aberto em 2016, e que se encontra num edifício futurista que contrasta com a arquitetura do século XVIII tão presente na cidade. Qualquer que seja o seu objectivo numa visita a Bordéus, estamos certos de que não ficará desapontado!

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.